Debate

Hospital particular nega pedido de cesárea e mãe morre após parto normal em SP

por: Tarsila Döhler

Ana Paula Saqui de Paula, estudante de 18 anos, morreu após ter seu pedido por cesariana negado pelo Hospital São Luiz em Boituva, no interior de São Paulo.

Segundo sua família, a jovem chegou ao local em trabalho de parto e pedindo pela cesárea, devido a dores fortes. A cirurgia, no entanto, não foi realizada por não haver anestesistas na instituição, que é particular.

Sem possibilidade de operar, a jovem fez o parto normal e deu à luz por volta das 12h de domingo (26). Após o nascimento da filha Estella, porém, Ana Paula sofreu uma hemorragia e morreu na manhã seguinte (27), quando era transferida para um hospital em Sorocaba.

Ana Paula morreu após o nascimento da filha Estella

Seis dos treze vereadores de Boituva, protocolaram um pedido para abertura de uma comissão especial de inquérito (CEI) na Câmara Municipal, depois que a família relatou a situação e registrou boletim de ocorrência sobre o caso, que está sendo investigado pela Polícia Civil da cidade. A bebê já teve alta.

Em nota, o grupo que administra o hospital, por sua vez, respondeu ao caso afirmando que se trata de uma exceção. “A Fundação Luiz João Labronici, que realiza em média 700 partos por ano, reforça que o ocorrido se tratou de um fato isolado, bem como que, ao longo de sua história, sempre procurou zelar pelas boas práticas”.

Igor Aparecido Pereira, companheiro da jovem, afirmou que o foco agora está em sua filha, que vai precisar de todo apoio: “A família ficou abalada, mas tem que ser forte por causa da Estella. Já estou com ela em casa e ela está boazinha, graças a Deus. Todo mundo dá assistência. Até os amigos. Todo mundo ficou triste com o que aconteceu”, disse ao G1.

Publicidade

Foto: Reprodução/Facebook


Tarsila Döhler
Jornalista, pisciana, apaixonada por brechó, cerveja gelada e livros. Natural do interior, com sonho na cidade grande. Divide a vida entre textos, diagramação, bordados e os 360 dias de espera pelo carnaval.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Capa apenas com empreendedores brancos mostra que jornalismo não encara o racismo