Criatividade

Livraria envia clássico de Kafka com 25% de corte para ministro da Educação

por: Redação Hypeness

Desde que o Ministério da Educação anunciou cortes na casa dos 24,84% nos investimentos reservados para escolas, universidades e institutos federais, milhares de pessoas saíram às ruas para protestar.

– 10 cartazes dos atos em defesa da educação que trouxeram verdades necessárias

O ministro Abraham Weintraub, no entanto, nega que tenha ceifado o orçamento das instituições de ensino. Convocado para falar aos deputados federais, o comandante da pasta da educação do governo Bolsonaro disse que a medida nada mais é que um contingenciamento de verba.

Apenas 25% do livro diante dos cortes na educação

“Não estou querendo diminuir o ensino superior. Ao que a gente se propõe? Cumprir o plano de governo que foi apresentado. Prioridade é ensino básico, fundamental, técnico”, declarou aos parlamentares.

– Professora de 92 tem melhora de saúde após ensinar cuidadora a ler e escrever

– Rihanna expõe autores de lei anti-aborto nos EUA, ‘idiotas decidindo futuro de mulheres’

A Livraria Leonardo da Vinci, que fica no Rio de Janeiro, ironizou a fala do ministro. O post nas redes sociais mostrou a fotografia de um livro de Franz Kafka cortado quase pela metade.

“Antecipadamente, pedimos desculpas pelo corte de 25% no livro, mas a situação das livrarias brasileiras está difícil. Temos certeza que isso não impedirá sua leitura atenta e apaixonada”, diz o texto promovendo o livro A Metamorfose.

A postagem caiu nas graças dos usuários e seguidores da página. Foram mais de cinco mil curtidas e outros dois mil compartilhamentos. Ainda mais porque a livraria tirou onda com uma gafe cometida por Abraham.

Em audiência na Comissão de Educação do Senado, ele confundiu o nome do escritor Franz Kafka com a nomenclatura de um prato típico da culinária árabe, kafta.

“Eu sofri um processo administrativo interno (e eu fui inocentado, ele foi arquivado), mas, durante um ano e oito meses, eu fui investigado, processado e julgado”, disse o ministro. “[No processo] está escrito inquisitorial e sigiloso. Que eu saiba, só a Gestapo fazia isso. Ou no livro do Kafta ou a Gestapo”, continua.

Bolsonaro classificou manifestantes como ‘idiotas úteis’

“Rio de Janeiro, 16 de maio de 2019.

Excelentíssimo sr. Ministro da Educação Abraham Weintraub

Conhecendo seu apreço pela educação, em especial pela leitura de Franz Kafka, tomamos a liberdade de enviar para vossa excelência um exemplar de uma nova edição do grande clássico do escritor tcheco de expressão alemã, A metamorfose.

Antecipadamente, pedimos desculpas pelo corte de 25% no livro, mas a situação das livrarias brasileiras está difícil. Temos certeza que isso não impedirá sua leitura atenta e apaixonada.

Com a mais sincera estima,

Livreiros da Leonardo da Vinci”

Bolsonaro chamou manifestantes de ‘imbecis’ e ‘idiotas úteis’

O dia 15 de maio ficou marcado como o grande movimento de manifestantes contra medidas da gestão de Jair Bolsonaro. Pouco mais de 4 meses depois da posse, o presidente, que está recebendo homenagem nos Estados Unidos, definiu os manifestantes como “imbecis” e “idiotas úteis”. Ele ainda sugeriu que os jovens insatisfeitos não conhecem a fórmula da água e nem sabem fazer contas de multiplicação.

“A maioria ali é militante. É militante. Não tem nada na cabeça. Se perguntar 7 x 8 não sabe. Se perguntar a fórmula da água, não sabe. Não sabe nada. São uns idiotas úteis, uns imbecis que estão sendo utilizados como massa de manobra de uma minoria espertalhona que compõe o núcleo de muitas universidades federais do Brasil”, completou em meio aos gritos de ‘mito’ de alguns apoiadores.

Publicidade

Fotos: Reprodução


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Por que fui dormir? Magazine Luiza deu descontos de até R$ 1 mil na madrugada