Sustentabilidade

‘Não somos lixeira de país rico’: Malásia devolve lixo enviado por EUA, Inglaterra e Canadá

por: Vitor Paiva

A Malásia decidiu lutar contra os países mais ricos e desenvolvidos do mundo – mas não no campo militar, e sim ambiental. E a causa parece incontestável: o país não quer mais ser o lixão do planeta, e irá devolver 3 mil toneladas de resíduos plásticos não recicláveis para os EUA, Reino Unido, Canadá e Austrália. A ministra do meio-ambiente Yeo Bee Yin deixou clara a firme posição do país: “Vamos revidar. Embora sejamos um país pequeno, não seremos assediados por nações desenvolvidas.”, ela disse.

A ministra com uma das embalagens encontradas no lixo

Tudo começou quando a China, ainda nesse ano, proibiu a importação de resíduos plásticos. Desde então a Malásia passou a se tornar o destino desse lixo, contrabandeados para o país de forma ilegal. Segundo a ministra, 60 contêineres com lixo contaminado foram interceptados antes de chegarem aos locais de processamento irregulares. Mais de 150 instalações ilegais já foram fechadas pelo governo, que reciclavam por lá o lixo de outros países. Somente uma empresa de reciclagem britânica enviou ao país 50 mil toneladas de resíduos plásticos nos últimos dois anos.

Yeo Bee Yin diante de um dos contêineres

As empresas locais que receberem ilegalmente o lixo também serão multadas e fechadas, a fim de contar o imenso problema dos resíduos por lá. Nos contêineres apreendidos foram encontrados cabos do Reino Unido, embalagens contaminadas da Austrália, CDs de Bangladesh e lixo eletrônico e doméstico dos EUA, Canadá, Arábia Saudita e Japão. Os primeiros contêineres já serão devolvidos nos próximos dias.

Publicidade

© fotos: divulgação


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Universitários se enfrentam em desafio de design sustentável e quem ganha é o planeta