Diversidade

O bilionário negro que quitou as dívidas estudantis de uma turma inteira

por: Redação Hypeness

Publicidade Anuncie


O termo black money surge nos Estados Unidos e é difundido mundialmente com a ideia de fazer o dinheiro circular entre a comunidade negra. O exemplo do afro-americano mais rico do país da América do Norte é a teoria na prática.

– Go Diáspora: baiana cria agência para racializar o turismo, “quero propor uma imersão entre cultura e história”

Robert F. Smith garantiu que vai pagar TODAS as dívidas estudantis dos alunos de uma universidade de Atlanta. O anúncio foi feito pelo empresário no último domingo (19) diante dos formandos da Morehouse College, com maioria de alunos negros.

Dinheiro circulando: o empresário aplicou o conceito de black money

Estima-se que o valor total ultrapasse os R$ 100 milhões de reais. A notícia chocou os alunos e causou espanto na imprensa dos EUA, que pouco ou nada sabia sobre a história de Robert F. Smith.

– EUA cria memorial para jamais esquecer a vergonha da escravidão. Brasil deveria fazer o mesmo

– Animação baiana em stop motion retrata criação do mundo pelo ponto de vista do Orixá

Para se ter ideia do tamanho da fortuna do empresário, estima-se que Oprah Winfrey tenha metade dos 5 bilhões de dólares (R$ 20,5 bi) de Smith. As informações são da revista Forbes.

Robert F. Smith acredita no potencial da tecnologia na criação de capital e riqueza para auxiliar o desenvolvimento humano.


“O capital intelectual é a nova moeda no mundo dos negócios. A inteligência pode ajudar a mover pessoas e até famílias inteiras da pobreza para a prosperidade. Nunca isso foi tão possível quanto hoje”, escreveu em artigo na Giving Pledge.

Grande parte da riqueza parte da criação do Vista Equity Partners – que realiza aportes em empresas de softwares. O empresário começou a carreira como engenheiro químico da Goodyear e frequentou a escola de negócios da Universidade de Columbia.

A generosidade e crença no black money não são de hoje. Smith é um dos fundadores e doadores mais importantes da história do Museu Nacional de História Afro-americana e Cultura. Empregou nada menos que 20 milhões para auxiliar o espaço.

O empurrão para a vida das centenas de estudantes provocou reações de nomes como o cineasta Spike Lee (ex-aluno), da ex-diretora da revista Vogue Shelby Ivey Christine e da filha de Martin Luther King Jr., Bernice. O ativista de defesa dos direitos civis dos negros é ex-aluno do Morehouse College.

“Robert F. Smith, o negro mais rico dos Estados Unidos, obrigado, obrigado, obrigado”, disse Lee em vídeo.

“Uau, que gesto de amor e poder de Robert Smith. Acredito ser o início de algo maior. Estou grata pelo que o senhor Smith, que comprou a casa onde meu pai nasceu para o National Park Service, está fazendo pela Morehouse, que muito tem a ver com papai”, escreveu a filha de Martin Luther King Jr.

Publicidade

Foto: Reprodução


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Após eliminação na Copa, Seleção é recebida com apoio e aplausos no aeroporto