Ciência

Pesquisa diz que ar condicionado gelado prejudica produtividade de mulheres

por: Vitor Paiva

Desde a escola, passando pela faculdade e chegando em escritórios ou qualquer outro local de convívio coletivo, é normal perceber a disputa pela temperatura do ambiente como uma guerra dos sexos: homens normalmente preferem os locais mais frios, devidamente aclimatados pelo ar condicionado intenso, enquanto as mulheres tendem a preferir uma temperatura mais amena, menos gélida.

Toda generalização é imprecisa, mas um estudo veio para comprovar que não só a temperatura ártica que costuma imperar nesses locais tende a ser uma afirmação sexista, como prejudica a produtividade das mulheres em seus locais de trabalho – para muito além simplesmente do conforto.

É comprovado que a tendência mais fria dos escritórios prejudica as mulheres por princípio: não só os homens costumam vestir terno e gravata, como as mulheres possuem comumente menos gordura e pelos no corpo, produzindo, assim, menos calor. Para além de tais importantes premissas, o estudo – conduzido pelo economista alemão Agne Kajackaite, em parceria com o economista Tom Y. Change, da Universidade do Sul da Califórnia – recrutou 543 estudantes, cerca de 60% homens, em uma média de 23 anos. Todos tiveram de cumprir os mesmos testes cognitivos, variando somente a temperatura da sala: de 16 graus para 32 graus celsius.

A ideia era medir o quanto a temperatura poderia interferir nos resultados, e o estudo levantou o esperado: os homens não tiveram um bom desempenho no calor, acertando uma média de 0.07 questões a cada grau aumentado na temperatura, enquanto as mulheres melhoraram 1.76% seu desempenho a cada grau elevado. Trata-se ainda de um experimento isolado, e novos testes precisam ser realizados para a eficácia real de tal sugestão – mas os dados indicam o que todos sabem. Tal estudo aponta para a necessidade cada vez mais evidente de controles pessoais e áreas com diferentes temperaturas nos escritórios – não só para o conforto individual que é direito de todos, como para o próprio desempenho profissional.

Publicidade

© fotos: divulgação


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Bióloga brasileira ganha prêmio internacional por evitar morte de animais em rodovias