Debate

Todos ex-ministros do Meio Ambiente se reúnem e alertam: O futuro está por um fio

por: Redação Hypeness

Publicidade Anuncie

Apesar de diferenças ideológicas, todos os ex-ministros do meio ambiente vivos se uniram contra o desmonte promovido pelo governo nas questões ambientais. O grupo, composto por 7 pessoas que atuaram na pasta desde sua criação, em 1992, se reuniu em São Paulo nesta quarta-feira (8) para lançar um alerta e assinar um comunicado.

Na reunião inédita estavam Rubens Ricupero, Gustavo Krause, José Sarney Filho, José Carlos Carvalho, Marina Silva, Carlos Minc, Izabella Teixeira e Edson Duarte. Eles acusaram o governo de Jair Bolsonaro promover uma “política sistemática, constante e deliberada de desconstrução e destruição das políticas meio ambientais”, que são implementadas desde o início dos anos de 1990, além de ações institucionais que desmontam aos poucos organismos de proteção e fiscalizadores, como o Ibama e o ICMbio.

O grupo acusa o presidente e o atual Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, de desfazer políticas desenvolvidas ao longo de anos e que representam conquistas que “não são de um governo ou de um partido, mas de todo o povo brasileiro”, como destacou Marina Silva, que ocupou o cargo entre 2003 e 2008.

Ela lembrou ainda que, ao contrário do que prega Bolsonaro, a preservação ambiental é capaz de corroborar com o desenvolvimento econômico. Marina afirmou que o Brasil “depende do meio ambiente para ser a potência agrícola e mineradora que é”, apontando que o país crescia em média 3% e impulsionava o agronegócio enquanto reduzia em 80% o desmatamento da Amazônia.

Ricardo Salles respondeu aos colegas através de uma nota. “O atual governo não rechaçou, nem desconstruiu, nenhum compromisso previamente assumido e que tenha tangibilidade, vantagem e concretude para a sociedade brasileira”, diz o texto. “Mais do que isso, criou e vem se dedicando a uma inédita agenda de qualidade ambiental urbana, até então totalmente negligenciada”.

Ex-ministra do Meio Ambiente, Marina explicou que a preservação ambiental impede o desenvolvimento econômico

Desde que o novo presidente assumiu, os retrocessos nas políticas de meio ambiente são notórios.  De janeiro para cá, o governo delegou ao Ministério da Agricultura a demarcação de terras indígenas e o Serviço Florestal Brasileiro, transferiu a Agência Nacional de Águas para o Ministério de Desenvolvimento Regional, acabou com a Secretaria de Mudança Climática, assediou fiscais do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), responsáveis por aplicar multas ambientais, e ameaçou desmantelar áreas protegidas, reduzir o Conselho Nacional do Meio Ambiente e dar fim ao Instituto Chico Mendes (ICMbio).

Segundo informações do El País, os ex-ministros se comprometeram a manter diálogo com instituições e organismos internacionais e, se necessário, acionar a Justiça na tentativa de barrar algumas ações do Governo.

Publicidade

Foto: Divulgação


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Garota de 13 anos pede ajuda a amigo e pai é preso por estupro