Diversidade

Fifa 19 ganha atualização da Copa do Mundo feminina

por: Vitor Paiva

Lentamente a FIFA e o universo do futebol em geral vai corrigindo a injusta maneira com que o futebol feminino costumava ser tratado pelas instituições como um todo – e quem agradece é o verdadeiro amante do esporte e da igualdade. Depois de confirmar que os jogos da Copa do Mundo de Futebol Feminino 2019 serão transmitidos pela TV, agora a novidade perfeita para aquecer os corações para o mundial, que começa no próximo dia 07 de junho, foi anunciada: uma atualização do jogo FIFA 19 permitirá disputar a final do torneio feminino no videogame.

A novidade foi divulgada pela EA Sports, empresa responsável pelo jogo, e será disponibilizada gratuitamente. Os jogadores poderão disputar a partida escolhendo uma das seleções participam da Copa do Mundo Feminina de 2019, que acontecerá na França. O título, tanto no videogame quanto na vida real, será disputado no estádio Parc Olympique Lyonnais, na cidade de Lyon.

Argentina, Australia, Brasil, Camarões, Canada, Chile, China, Inglaterra, França, Alemanha, Jamaica, Japão, Coreia Do Sul, Holanda, Nova Zelândia, Nigéria, Noruega, Escócia, Espanha, Suécia, Tailândia e Estados Unidos são as seleções disponíveis para a partida no jogo, disponível para PlayStation 4, Xbox One, PC e Nintendo Switch. As seleções da África do Sul e da Itália não fazem parte do game. A única bola fora é o fato da seleção brasileira não trazer as jogadoras que de fato compõem o time, por falta de um acordo de direito de imagem – mas trata-se, ainda assim, de um primeiro passo importante, para que, no futuro, craques como Marta, Formiga e Andressa possam disputar também arrebentar no videogame como fazem em campo.

Publicidade

© fotos: reprodução/EA Sports


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Como o mercado tecnológico tem trabalhado a fim de empoderar mulheres, negros, pessoas com deficiência e LGBT+