Diversidade

#FreetheNipples: protesto em sede do Facebook pede fim da censura a mamilos

por: Redação Hypeness

Certamente você já se deparou com alguém reclamando de censura no Facebook ou Instagram. As duas empresas controladas por Mark Zuckerberg foram alvo de protestos de cerca de 125 pessoas nuas que pedem uma coisa: libertem os mamilos.

– Fifa destina apenas 1% de sua verba para premiar mulheres

A campanha é batizada de #WeTheNipple ‘nós, o mamilo’ e reuniu homens e mulheres sem roupa e carregando cartazes com o desenho de um mamilo masculino em frente ao escritório da companhia em Nova York. A alfinetada mira a visão machista que insiste em quase que criminalizar a nudez do mamilo feminino.

Mamilos femininos te incomodam?

O objetivo do protesto é chamar a atenção e fazer com que o Facebook e o Instagram alterem suas políticas de privacidade e protejam artistas que usam ambas as plataformas para divulgar seus trabalhos, muitas vezes com nudez.

Usuários reclamam da falta de critério, pois em muitos episódios fotografias são excluídas aleatoriamente ou atendendo denúncias de algumas pessoas. Conteúdos, digamos, inapropriados permanecem no ar enquanto imagens e contas artísticas são deletados sem maiores explicações.

– Foto de topless de Leticia Colin é excluída e pessoas pedem #mamiloslivres

Nos EUA, o #WeTheNipple contou com a participação indireta de Adam Goldberg e do baterista do Red Hot Chili Peppers, Chad Smith, que doaram registros de seus mamilos para questionar a insistente hipessexualização dos corpos femininos.

“O trabalho que sou autorizado a postar é completamente diferente do que faço. Acredito que cada mamilo borrado auxilia na sexualização das obras. Sou um artista do século 21 e me comunico pelo Instagram. É como censurar uma revista. Acaba com meu espírito”, declarou o artista Spencer Tunick.

A iniciativa em defesa dos mamilos conta com apoio de artistas e membros da sociedade civil, que enviaram carta aberta ao Facebook e Instagram. A coalizão nacional contra a censura (NCAC, sigla em inglês) e membros do grupo pelos direitos das mulheres, Grab Them By The Ballot, também participaram da manifestação. Elas se pronunciaram em nota que estão “desafiando políticas de censura contra a nudez feminina adotadas pelo Facebook e Instagram”.

– Após multa a seios de Janet Jackson, fãs questionam mamilos livres de Adam Levine no Super Bowl

Tunick já participou de outros protestos pela liberdade dos mamilos. Em Sydney, em 2010, ele reuniu mais de 500 pessoas nuas na entrada da Opera House.

Mais de 500 pessoas protestaram nuas na porta da Opera House, na Austrália, em 2010

E o Zuck? Facebook e Instagram se pronunciaram institucionalmente.

“Sabemos que há momentos em que as pessoas querem compartilhar nudez em termos artísticos e criativos, mas por uma enormidade de razões, não permitimos isso no Instagram. Incluindo fotos, vídeos e conteúdos criados digitalmente que mostrem relações sexuais, partes íntimas e fotos de mamilos femininos. Fotos pós-mastectomia são permitidas”, diz a empresa.

Facebook: “o emprego de conteúdo ou atividade sexual pode afetar algumas pessoas em nossa comunidade. Nossa política de nudez muda com o passar do tempo. Entendemos que nudez pode ser compartilhada por uma série de razões, como forma de protesto também, razões educativas ou médicas. Abrimos sim exceções”. 

Publicidade

Fotos: Reprodução


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Maju Coutinho é a nova apresentadora do Jornal Hoje