Arte

Google reúne em plataforma a obra do gênio brasileiro Cândido Portinari

por: Vitor Paiva

Publicidade Anuncie

Nenhum pintor imortalizou mais o povo e o espírito popular no Brasil que o mestre Cândido Portinari. O trabalho, as festas, o folclore e propriamente as pessoas foram os temas que inspiraram a genialidade e a pena sobre as mais de cinco mil telas que pintou um dos maiores artistas brasileiros em todos os tempos. Nada mais justo, portanto, que a obra de Portinari esteja acessível justamente ao povo – às pessoas que quiserem admirar seu trabalho, mesmo que seja em um formato online. Para tal, o Google se juntou ao Projeto Portinari, criando um museu virtual do pintor paulista.

“O Mestiço”, de 1934

Intitulada “Portinari: O Pintor do Povo”, a coleção de 5 mil obras digitalizadas do pintor foi reunida em uma plataforma especial, projetada pelo Google Arts & Culture e dividida em 20 exposições virtuais que visam preservar e ao mesmo tempo disponibilizar o acervo de Portinari. Com curadoria de João Cândido Portinari, filho do artista, a coleção também traz mais de 15 mil documentos do arquivo pessoal da família, além de informações, fatos e histórias do pintor.

Portinari diante de uma de suas obras

Para João, o mais interessante da plataforma é reunir em um só lugar o imenso acervo de seu pai, hoje espalhado em museus e coleções do mundo todo – como as telas “Guerra” e “Paz”, localizadas no prédio da ONU, em Nova Iorque. “É uma coisa incrível porque as obras estão em um lugar que poucos têm acesso. Já recebemos reclamações de brasileiros que foram até a ONU e não conseguiram ver. Agora todo mundo terá acesso”, afirmou João.

“Café”, de 1935

“Os Retirantes”, de 1944

Essa é a primeira vez que tal iniciativa – que, no ano passado, reuniu a obra de Frida Kahlo, por exemplo, em uma plataforma semelhante – é realizada em prol de um artista brasileiro.

Detalhe da plataforma

O projeto “Portinari”O Pintor do Povo” pode ser acessado através de um aplicativo para Android e iOS, ou diretamente pelo site.

“Chorinho”, de 1942

Publicidade

© Arte: Cândido Portinari


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
25 eventos LGBT, juninos e musicais para celebrar a diversidade no feriado