Inspiração

Internet faz vaquinha para ajudar idosa arrastada por carro no DF

por: Redação Hypeness

No dia 15 de junho, a vendedora Marina Izidoro de Morais, de 63 anos, foi arrastada por um carro em Taguatinga, no Distrito Federal após se negar a oferecer um balão de graça. Agora, uma vaquinha busca ajudá-la a se recuperar do trauma e cobrir os prejuízos.

O crime ocorreu quando Marina levava os balões amarrados ao braço. Eles foram puxados para dentro do carro por uma mulher que estava sentada no banco do carona. O motorista então acelerou o veículo e a vendedora foi arrastada por cerca de 100 metros.

Foto: Reprodução Voaa

Felizmente, os ferimentos de Marina foram todos superficiais e os exames não indicaram lesões internas. Entretanto, além do trauma sofrido, ela perdeu boa parte do dinheiro que havia conseguido durante as quase oito horas de trabalho no dia do crime. Os balões que não foram roubados pela dupla também foram perdidos, visto que muitos estouraram com a violência.

A idosa trabalha normalmente como diarista e complementa a renda vendendo balões de gás hélio. Graças aos ferimentos, ela precisaria passar no mínimo uma semana afastada do trabalho, causando um prejuízo calculado em pelo menos R$ 380 pelo site Razões Para Acreditar.

Vaquinha já arrecadou mais de 7 vezes o valor previsto. Foto: Reprodução Voaa

Para ajudá-la, a equipe da publicação criou uma vaquinha através de sua nova plataforma, a Voaa. O objetivo inicial era a arrecadação de R$ 10.000, mas até o momento já foram reunidas doações no valor de mais de R$ 75 mil. De acordo com o site, a quantia deve ser usada para cobrir os custos do tratamento, ajudá-la a se recuperar e pagar um advogado para auxiliá-la no processo contra os agressores.

Publicidade

Créditos sob as imagens


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.


X
Próxima notícia Hypeness:
Xuxa celebra sexo após os 50 e diz que viveu experiências novas com envelhecimento