Diversidade

Outro 7 x 1: Alemanha prepara lei para proibir quem quiser praticar ‘cura gay’

por: Vitor Paiva

Sob nenhuma análise a homossexualidade é ou deve ser considerada uma doença, muito pelo contrário – e em um mundo ainda tão intensamente homofóbico e especialmente violento, qualquer afirmação de tal ideário de ódio é um gesto de cumplicidade com a perseguição e as agressões contra homossexuais em todo o planeta. É para combater tal lógica que o Ministro da Saúde da Alemanha pretende apresentar até o fim do ano um projeto de lei que visará proibir qualquer “terapia” de conversão de sexualidade – as famigeradas e inacreditáveis “curas gays”.

O ministro Jens Spahn

“Sou partidário de proibir estas terapias. Porque a homossexualidade não é uma doença e não precisa de terapia”, afirmou em entrevista coletiva o ministro Jens Spahn, que é conservador e gay declarado. A sugestão do ministro reafirma a posição da Alemanha no trilho que de modo geral os principais países do mundo já estão – de progresso, igualdade e combate ao preconceito e à violência. O projeto irá ao parlamento alemão até o fim de 2019.

Parada Gay em Berlim

Se o combate à homofobia é fundamental para o progresso de qualquer país do mundo, curiosamente somente Malta e algumas regiões autônomas da Espanha proíbem a cura gay na Europa – e por isso a hipótese de nova lei na Alemanha se afirma como uma novidade fundamental. No país, tais terapias são propostas principalmente por grupos religiosos radicais, com participação de cerca de 1000 pessoas por ano. Apesar de ser um dos campeões em homofobia e crime contra os gays, o Brasil foi o primeiro país do mundo a proibir a “cura gay”, que provocam dor, sofrimento, angústia e depressão ao tratar a identidade sexual de alguém como doença.

Publicidade

© fotos: divulgação


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Negros são maioria pela primeira vez em universidades. IBGE aponta efeito das cotas