Diversidade

Anitta revela sua opinião sobre o aborto em entrevista

por: Redação Hypeness

Em entrevista à Marie Claire, Anitta admitiu ser favorável ao aborto e que tem planos de se aposentar em até quatro anos, “já fiz tudo que era para ter feito”. A cantora de 26 anos defendeu o direito da mulher de ditar seus rumos, “apoio a liberdade de escolha”. 

– Ameaçada de morte, defensora da legalização do aborto vai deixar o Brasil

O apoio ao aborto não significa que Anitta descarte a ideia de ter filhos. Pelo contrário, “quero ter vários, muitos. Gosto de casa cheia. Quero adotar também. Só que é um plano para depois”. 

“Precisa ter a opção de fazer com segurança”

Anitta diz ser espírita e acreditar em reencarnação e carma. Ela pondera que não teria motivos para abortar, “sou saudável, tenho como sustentar”. No entanto, reafirma a importância da liberdade de escolha. 

– Disney ameaça cancelar filmagens em estado dos EUA que proibiu aborto

“Defendo a descriminalização, total. Acho que as pessoas têm que ter o direito de agir conforme as crenças delas. Não é porque em X que todo mundo tem que acreditar igual. Acho que quem não está a fim de ter um filho precisa ter a opção de fazer isso com segurança”, completou.  

Descriminalização 

O debate sobre o direito ao aborto até avançou, mas barrou no lobby de grupos contrários que se escoram em mais de 200 parlamentares membros de uma frente parlamentar em defesa da vida. 

– Fernando Holiday quer internação psiquiátrica para grávidas ‘propensas ao aborto’

O deputado estadual Fernando Holiday (DEM-SP) chegou a defender a intervenção psiquiátrica contra grávidas “propensas ao abortamento ilegal”. O PL 352/2019 foi apresentado na Câmara Municipal de São Paulo.

A pressão de setores conservadores é forte

Já Debora Diniz, ativista dos direitos humanos e defensora do aborto, precisou deixar o Brasil após sofrer ameaças de morte. 

“Chegaram ao ponto de cogitar um massacre na universidade caso eu continuasse dando aulas. A estratégia desse terror é a covardia da dúvida. Não sabemos se são apenas bravateiros. Há o risco do efeito de contágio, de alguém de fora do circuito concretizar a ameaça, já que os agressores incitam violência e ódio contra mim a todo o momento”, pontuou a antropóloga ao El País.

Debora Diniz é detentora do prêmio Foreign Policy, como uma das 100 pensadoras globais de 2016. Ela está no comando do Instituto de Bioética, Direitos Humanos e Gênero (Anis). Em agosto de 2018, participou, com escolta policial, de uma audiência pública no Supremo Tribunal Federal (STF). A sessão sobre a descriminalização do aborto até a 12ª semana foi comandada pela ministra Rosa Weber.

Na ocasião, defendeu a legalização do aborto em um momento considerado histórico para o Supremo Tribunal Federal (STF). “Todas as mulheres fazem aborto, mas só em algumas a polícia bota a mão”.

Publicidade

Fotos: Getty Images


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Ausência feminina causada por machismo custa US$ 700 bilhões ao ano para setor financeiro