Diversidade

Dalai Lama se desculpa após declarações machistas

por: Kauê Vieira

Dalai Lama pediu desculpas por uma declaração machista dada em entrevista à BBC. Ao responder sobre a possibilidade de sua reencarnação ser uma mulher, o líder espiritual dos tibetanos disse o seguinte, “se houver uma mulher Dalai Lama, ela deve ser mais atraente”

– Físico brasileiro vence ‘Nobel da Espiritualidade’, conquistado por Dalai Lama e Madre Teresa

– Fotógrafa baiana cria série para exaltar a beleza da religião de matriz africana no Brasil

Dalai Lama se desculpou e citou luta contra objetificação de mulheres

O comentário machista repercutiu negativamente no mundo todo e Dalai Lama se desculpou. O comunicado foi emitido via assessoria de imprensa, que iniciou dizendo que “a respeito da pergunta se sua reencarnação poderia ser uma mulher, e ao sugerir que ela deveria ser mais atraente, Sua Santidade genuinamente não quis ofender. Lamenta profundamente que as pessoas tenham ficado ressentidas pelo que ele disse e oferece suas sinceras desculpas”.

O texto cita a idade de Dalai Lama e o “grande senso das contradições entre o mundo materialista e globalizado que encontra em suas viagens e as ideias complexas e esotéricas sobre a reencarnação que estão no coração da tradição budista tibetana”. 

– Padre Fábio de Melo faz ~piada~ com religião africana e internet rebate

E acrescentou, “no entanto, às vezes acontece que, o que pode ser divertido em um contexto cultural, perde o humor na tradução quando vertido para outro contexto. Ele se arrepende de qualquer ofensa que possa ter sido feita”.

A nota de desculpas se encerra, “por toda a sua longa vida, Sua Santidade se opôs à objetificação das mulheres, apoiou as mulheres e seus direitos e celebrou o crescente consenso internacional em apoio à igualdade de gênero e respeito às mulheres”, conclui. 

Publicidade

Foto: Wikipédia


Kauê Vieira
Nascido na periferia da zona sul de São Paulo, Kauê Vieira é jornalista desde que se conhece por gente. Apaixonado pela profissão, acumula 10 anos de carreira, com destaque para passagens pela área de cultura. Foi coordenador de comunicação do Projeto Afreaka, idealizou duas edições de um festival promovendo encontros entre Brasil e África contemporânea, além de ter participado da produção de um livro paradidático sobre o ensino de África nas Escolas. Acumula ainda duas passagens pelo Portal Terra. Por fim, ao lado de suas funções no Hypeness, ministra um curso sobre mídia e representatividade e outras coisinhas mais.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Mulheres com deficiência esbanjam sensualidade em ensaio fotográfico