Criatividade

Cozinheiro cria receita secreta e ganha a vida no Rio vendendo a melhor costela do Brasil

Vitor Paiva - 29/07/2019 | Atualizada em - 12/03/2020

Quando chegou ao Rio de Janeiro, Balbino Epifanio tinha 18 anos e não sabia que se tornaria um empreendedor. Trabalhou como porteiro, por 8 anos ajudou um senhor tetraplégico, até que, já trabalhando com alimentação, conheceu uma receita de costela bovina pela internet.

O link dizia que aquela receita vendia 800 kg de costela por semana. Balbino tentou reproduzir o sabor do molho e, mesmo tendo certeza de que sua versão não estava igual ao original, a costela que preparou a partir da receita rapidamente se tornou um sucesso. Ele então foi conhecer o criador daquela delícia, e lhe fazer uma proposta – de abrir um restaurante.

A costela do Pança, considerada por muitos a melhor do Brasil

O chef que havia criado essa que hoje é conhecida como “a melhor costela do Brasil” é Seu Antônio Geraldo, mais conhecido pelo apelido de Pança. Cozinhando há 40 anos, Pança alcançou com a receita de costela que criou sua obra-prima, e precisava justamente do espírito e do investimento de alguém como Balbino para mostrar sua obra ao mundo.

A eles se juntou Rafael Lavrado, o terceiro sócio, que veio do mercado financeiro atraído pelo cheiro e pelo sabor: depois de tanto cruzar a cidade e ir até a Praça do Bandolim, no bairro de Curicica, no Rio de Janeiro, para visitar o Pança’s, restaurante que Balbino abriu com Seu Antônio, e degustar a carne tão macia e saborosa quanto possível da melhor costela do Brasil, ele também decidiu investir no estabelecimento – para levar essa verdadeira obra de arte da gastronomia popular para o maior número de pessoas possível.

Pança, Rafael e Balbino, o trio de sócios do Pança’s

Com esse trio formado por Balbino, Rafael e o próprio Seu Antônio, em um ano de atividades o Pança’s se tornou um sucesso local. As 100 pessoas que o restaurante comporta com mesas na calçada saem sempre satisfeitas, pois o restaurante segue aquele clássico modelo: uma costela que oficialmente é para dois na realidade serve de 3 a 4 pessoas.

Nos vídeos e fotos postadas na página do restaurante no Facebook, celebridades como Sérgio Mallandro, Ailton Graça e Eduardo Moscoviz celebram a maciez e a delícia da receita de Seu Antônio – e até Ana Maria Braga já provou a costela e confirmou ser a melhor do Brasil, com a participação do próprio Pança, pessoalmente cozinhando para a apresentadora no palco do programa.

Criador e criatura: Pança em frente ao Pança’s

Preparar a costela do Pança’s não é, porém, um processo simples e rápido – além do segredo no molho e na técnica de preparo, o processo é lento e gradual: depois de passar 14 horas marinando no tempero exclusivo, as peças cozinham por cerca de 6 horas em uma churrasqueira. Esse trato caprichado é também um diferencial, mas que torna difícil o crescimento do restaurante. 

Como o desejo de Rafael, ao entrar na sociedade, era de poder expandir o negócio – e, por exemplo, congelar a costela para poder vendê-la em todo o país – mas sem perder a exclusividade e principalmente a qualidade da receita, os três mosqueteiros do Pança’s decidiram recorrer ao programa Shark Tank Brasil, para tentar pescar um Tubarão pelo cheiro da costela e contar com o investimento e o know-how dos investidores para poder justamente ampliar devidamente o negócio.

Os três sócios no palco do Shark Tank

Além da incrível história de vida de Balbino e de Seu Antônio, e da simpatia do cozinheiro, os sócios contaram, é claro, com o sabor inigualável da comida, oferecida logo na chegada dos três ao palco do Shark Tank, para seduzir os Tubarões. O restaurante também serve costela suína, cupim e joelho de porco, mas a isca utilizada no programa foi mesmo o carro-chefe: a costela bovina. E o efeito foi imediato: “Você parte a costela com garfo”, disse Caito Maia, sobre a maciez da carne. “Não dá pra parar de comer”, afirmou João Appolinário. “Maravilhoso. É a primeira vez que eu como uma costela na vida”, disse Cris Arcangeli, enquanto seu Pança, satisfeito, sorria.

 

Se os três sócios apresentaram necessidades no campo da gestão do restaurante, o sucesso do Pança’s deixou claro que eles tinham o mais difícil: as vendas. Foi a soma do sabor e dessa conquista que fez a investidora Camila Farani, carioca da gema e conhecedora do potencial de um sucesso como tal na cidade maravilhosa, a embarcar no Pança’s. Em breve, portanto, o resto do país poderá confirmar o que uma parte da população já sabe – que a costela do Seu Pança é a melhor do Brasil. O Shark Tank Brasil vai ao ar no Canal Sony às sextas-feiras, às 22h, com reprise às terças, 22h. Os episódios podem ser vistos também pelo app Canal Sony ou em www.br.canalsony.com.

Abrir o próprio negócio e empreender no Brasil é uma roleta russa de emoções que não é reservada somente para quem está começando. Mas uma coisa é certa: pessoas apaixonadas sempre fazem a diferença.

Negociar com tubarões e mudar vidas: é aí que o Shark Tank Brasil entra, garantindo para os novos empreendedores brasileiros uma chance de decolar com o próprio negócio.

Este conteúdo é um oferecimento do Shark Tank Brasil em parceria com o Hypeness, porque todos merecem a chance de fazer sucesso trabalhando com o que amam.

Publicidade

Fotos: foto 1: Wagner Soares/foto 2: Reprodução/foto 3: Wagner Soares/foto 4: Reprodução/foto 5: Reprodução/foto 6: Reprodução/foto 7: Reprodução/
















Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutor em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Warning: file_put_contents(/var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/cache/twitter-stream-hypeness.txt): failed to open stream: Permission denied in /var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/social.php on line 410


X
Próxima notícia Hypeness:
‘Mapa da Internet’ imagina os sites mais populares do mundo como se fossem países