Debate

Grávida leva tiro na barriga e é acusada de homicídio por morte do feto

por: Redação Hypeness

A controvérsia sobre a proibição do aborto no Alabama, Estados Unidos, já rendeu um exemplo. Uma mulher grávida levou um tiro no estômago e agora é acusada de homicídio pela morte do feto.

– Disney ameaça cancelar filmagens em estado dos EUA que proibiu aborto

A briga aconteceu em 4 de dezembro, segundo autoridades motivada pelo pai do bebê que não chegou a nascer. Jones, grávida de cinco meses, se desentendeu com outra mulher na porta de uma loja de produtos populares, Dollar General, em Birmingham. 

“A investigação mostrou que a única vítima verdadeira foi o bebê que estava por nascer”, declarou Danny Reid, responsável pelo caso. O tenente completou, “quando uma mulher grávida de cinco meses começa uma briga e ataca outra pessoa, acho que ela tem alguma responsabilidade por qualquer lesão ao feto”.

Homicídio: O grande júri culpa a mãe que perdeu o filho

Ebony Jemison, de 23 anos, estava armada e acabou atirando na barriga da moça de 27 anos, que perdeu o filho. De acordo com a CNN, o grande júri do Condado de Jefferson indiciou Marshae Jones baseado em sua participação durante a ocorrência.

Autoridades de Pleasant Groove justificam o processo em função de Marshae ter iniciado a discussão. Porém, ainda não está claro se Jones será indiciada. A procuradoria do condado manifestou dizendo que “o grande júri deu o parecer e agora nossos oficiais estão avaliando a situação, mas ainda não tomaram uma decisão sobre se a indiciam por homicídio, causa menor ou arquivam o caso”, declarou Lynneice Washington, promotora do distrito no Alabama. 

– Rihanna expõe autores de lei anti-aborto nos EUA, ‘idiotas decidindo futuro de mulheres’

– Fernando Holiday quer internação psiquiátrica para grávidas ‘propensas ao aborto’

A norte-americana é representada pelo escritório de advocacia White Arnold & Dowd, que fica na capital Birmingham. 

“A decisão sem precedentes deixou cicatrizes em Marshae e na reputação do estado do Alabama. Nosso objetivo é apoiar Marshae durante o processo, para defender sua inocência e garantir que esta grave injustiça não ocorra.”, disse em nota. 

O site AL.com revela que Jones foi presa na quinta-feira, com fiança de 50 mil dólares, mais de 190 mil reais.

99 anos na cadeia  

Há pouco mais de um mês, o Alabama contrariou lei federal e vetou o aborto, mesmo em casos de estupro. Médicos responsáveis pelo procedimento podem pegar até 99 anos de prisão.

O Yellowhammer Fund, que cobre o custo de viagens para outros estados de mulheres sem condições financeiras, descreveu em nota como ridícula a situação de Marshae Jones. 

“Marshae Jones é acusada de homicídio por tomar um tiro grávida em uma briga com uma pessoa armada. O estado do Alabama provou, mais uma vez, que uma gestante precisa, sem auxílio, gerar e proteger uma vida. E que considera crime qualquer ação que impeça o nascimento da criança”, afirmou Amanda Reyes, diretora executiva da entidade. 

Homicídio pode render até 2o anos de condenação no Alabama.

Publicidade

Foto: Reprodução


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Harry e Meghan anunciam data de saída e vão desembolsar R$ 114 mi com segurança