Debate

Mãe perde guarda de filho por morar no subúrbio do Rio: ‘Menino precisa de exemplo paterno’

por: Redação Hypeness

Uma mãe perdeu a guarda do filho por morar em Manguinhos, zona norte do Rio de Janeiro. Conforme noticiou o jornal O Globo, a Justiça fluminense declarou ainda que o menino precisa de um exemplo paterno. 

– A história da caminhoneira trans que venceu a barreira do preconceito na estrada

– La Frida Bike: ativismo de pedal para a emancipação do corpo feminino negro

Rosilaine Santiago tem vida estável e há quatro anos atua como agente comunitária de saúde. Ela mora em casa própria e o filho estuda em escola particular. O pai da criança reside em Joinville (SC) e os dois não se encontram há quatro anos. 

A mulher explica que a separação ocorreu em 2014, depois de acusação de violência doméstica. Rosilaine diz que o marido chegou a ameaçá-la com uma faca. O caso está registrado na 21ª DP de Bonsucesso, no Rio. 

“Meus filhos são tudo para mim. Não foram acidentes. Foi tudo preparado para a chegada deles. Eu sempre fiz e faço tudo por eles”, declarou ao G1

O advogado do pai da criança nega, “não tem a ver com a guarda da criança”. 

– Em experimento homem negro discute manifestação do racismo pela aparência

A entrega da guarda para o ex-marido chegou a ser anulada,  mas a nova sentença, dada pelo mesmo juiz, manteve a decisão. Leandro Cardone, advogado de Rosilaine Santiago, destacou o “grave problema de preconceito social” no parecer. 

“Nós entendemos que houve um grave problema de preconceito social, da sentença sem a instrução, sem as alegações finais, sem os laudos psicológicos devidos, sem as oitivas das partes. O juiz acabou entendendo que, pelo fato do pai ser um suboficial da Marinha e residir na cidade de Joinville, em Santa Catarina, ele teria melhores condições do que a mãe, uma trabalhadora como qualquer outra do Rio de Janeiro, que recebe cerca de R$ 2 mil, mas mora em uma comunidade”, finalizou. 

Sentença ‘esdrúxula’

A Comissão de Direitos Humanos e Assistência Jurídica (CDHAJ) da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) vai pedir explicações ao Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro sobre a decisão de tirar da mãe a guarda do filho de 8 anos por ela morar em área de risco. 

Some isso ao fato do parecer salientar que “o menino necessita de um exemplo paterno, por ser do sexo masculino”. 

A CDHJ confirma que se encontrou com Rosilaine Santiago na sexta-feira (19) e que irá oficializar o pedido de esclarecimento ao Tribunal de Justiça.

Publicidade

Foto: Reprodução


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Suprema Corte do México ordena que ministério regulamente maconha medicinal