Debate

Netflix diz que não vai incluir publicidade e comerciais

por: Gabriela Glette

Diferente de muitas outras empresas no ramo, a Netflix anunciou que não pretende incluir publicidade e comerciais em sua programação. A afirmação veio depois de comunicado oficial a investidores, quando a empresa de streaming divulgou os ganhos no segundo trimestre de 2019.

publicidade na netflix 1

Sobre falsos rumores de que isto aconteceria em um futuro próximo, representantes da empresa asseguraram: “Esta continua a ser parte importante de nossa proposta de marca; quando você lê especulação sobre estarmos movendo o negócio para a venda de espaços publicitários, tenha a confiança de acreditar que esta informação é falsa“.

publicidade na netflix 2

Com mais de 100 milhões de assinantes no mundo, apesar da Netflix faturar cada vez mais, especulações do mercado financeiro dizem que se a plataforma fosse inserida no mercado publicitário, mais de 1 bilhão de dólares entrariam para suas contas.

publicidade na netflix 3

Recentemente, a empresa anunciou que deixaria de investir em grandes sucessos premiados, para dar preferência às produções originais. No entanto, se abrir espaço para publicidade os ajudaria a sair do vermelho, a medida iria contra a maior ideologia da empresa, que é de oferecer uma experiência de consumo livre de comerciais. De acordo com o CEO Spencer Neumann, o plano é multiplicar cada vez mais a base de usuários, que com certeza não ficariam nada felizes caso tivessem que conviver com publicidade em meio à programação.

publicidade na netflix 4

Publicidade

Fotos: Unsplash


Gabriela Glette
Uma jornalista que ama poesia e mora na França, onde faz mestrado em comunicação. Apaixonada por viagens e inquieta por natureza, ela encontrou no nomadismo digital o segredo de sua felicidade, e transforma a saudade que sente da família e amigos em combustível para escrever suas histórias.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Desigualdade bate recorde no Brasil, aponta novo estudo da FGV