Debate

Pedro Cardoso usa Agostinho e Globo para explicar as falácias da meritocracia

por: Redação Hypeness

Pedro Cardoso, mais uma vez, foi contundente ao dar entrevista na TV. O ator usou o personagem Agostinho para falar de mais-valia, desigualdade social e meritocracia. Em conversa com Marcelo Tas no ‘Provocações’ da TV Cultura, ele explicou o que pensa da situação atual do país e criticou o que ele considera ser fascismo: “Deus acima de tudo é o lema do fascismo vigente no Brasil”.

– Esse brasileiro contou sua história para mostrar por que a meritocracia é uma mentira

Mais-valia de Cardoso para dizer que Globo ficou rica com Agostinho

Agostinho continua pobre 

Foram mais de 30 anos de TV Globo, tempo suficiente para transformar Pedro Cardoso em um dos nomes mais importantes do humor contemporâneo. Desde participações nas primeiras temporadas do ‘Domingão do Faustão’, até 13 anos de Agostinho. 

– ‘De estagiária à presidente’: O conto da meritocracia que virou meme na internet

O sucesso veio mesmo com a ‘Grande Família’, que aliás, é reprisada na programação vespertina da emissora carioca. “[O personagem] não me deixou rico. Quem ficou rica foi a TV Globo”, enfatiza. 

O ator traçou paralelo entre sua carreira na Globo e o conceito de mais-valia – ideia central do marxismo sobre relações trabalhistas no capitalismo. Karl Marx concluiu que o empregador fica com a maior parte do valor gerado pela força de trabalho. 

“Nenhuma pessoa fica rica sem explorar a mais-valia imensamente. Eu tô para encontrar um economista que me mostra uma outra estrutura de ficar rico que não seja você não dividir a riqueza do seu trabalho de maneira justa com as pessoas que produziram esse trabalho pra você”, inicia. 


Marcelo Tas, então, questiona se Pedro Cardoso ficou rico a partir do conceito de mais-valia.

“Não me deixou rico, quem ficou rico com o Agostinho foi a Rede Globo. A Rede Globo, que é o capitalista naquele negócio, é que tem possibilidade de ficar rico”.

Pedro Cardoso continua, “eu tenho 57 anos e eu não tenho uma economia que me possibilite não trabalhar. Eu venho ao Brasil trabalhar. E venho ao Brasil trabalhar pelo dinheiro da bilheteria. Se eu não acordar de manhã e for trabalhar, não tem uma estrutura de exploração do trabalho de outras pessoas que faz dinheiro pra mim enquanto apenas emprego meu capital ali. Eu não acho isso uma relação justa. Acho isso uma relação que produz pobreza”, encerra. 

– Onyx e Maia defendem reforma da previdência mas não abrem mão de aposentadoria especial

Agostinho patrão severo com Tuco

Seria, então, Agostinho Carrara um alter-ego de Pedro Cardoso? Em vários episódios de ‘A Grande Família’, o taxista excêntrico manifesta preocupações com os rumos do país e do mundo.

“Eu que arrisco. Aumentando o petróleo, aumenta a gasolina num país que é cana pura. Diminui meu rendimento e prejudica meu lucro”, reclama ele sobre a crise internacional que puxa alta dos barris de petróleo. 

Aqui, ele aparece argumentando com a esposa Bebel sobre o Enem. Uma crítica direta ao sistema de aplicação de provas. 

Neste outro trecho ele perde a paciência com o cunhado Tuco. “Você é filho de papai riquinho, criado no berço de ouro, no leitinho. Aprende a trabalhar, rapaz!”

Veja a íntegra do ‘Provocações’ com Pedro Cardoso:

Publicidade

Foto: Reprodução


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Quem foi o camponês símbolo da luta contra agrotóxicos morto por doença provocada por veneno