Viagem

Tanabata Matsuri: Festival das Estrelas acontece em julho na Liberdade

por: Gabriela Glette

Se o bairro da Liberdade – em São Paulo, já é um passeio imperdível mesmo sem qualquer evento especial, espere para ver o incrível Festival das Estrelas, nos dias 13 e 14 de julho. Celebrado no Japão desde o século 9, no bairro paulista o Tanabata Matsuri acontece desde 1979.

festival-das-estrelas-liberdade 1

Conforme a tradição, as ruas são decoradas com ramos de bambus e papéis coloridos simbolizando as estrelas. Cada papel representa o pedido de alguém, sendo que cada cor significa uma bênção especial – entre elas felicidade, paz, saúde, amor e gratidão. Para ter seu pedido realizado, basta comprar um tankazu, escrever seu pedido e pendurá-lo nos galhos de bambu.

festival-das-estrelas-liberdade 2

A origem do festival conta a história de um amor impossível, quando uma princesa se apaixonou por um pastor de gado. Porém, o casal acabou sendo separado pelo poderoso pai da princesa, que os obrigou a morar em lados opostos da Via-Láctea. Para que pudessem se ver ao menos uma vez ao ano (no 7º dia do 7º mês do ano), eles precisariam atender a todos os pedidos vindos da Terra.

festival-das-estrelas-liberdade 3

Entretanto, não é somente a decoração e esta lenda incrível que encanta. Durante o festival, o bairro irá receber uma programação cultural de shows, danças e apresentações típicas japonesas. Uma verdadeira imersão no universo mágico do Japão!

festival-das-estrelas-liberdade 4

 

Publicidade

Fotos 1, 2 e 3: Paulo Pinto

Foto 4: Unsplash


Gabriela Glette
Uma jornalista que ama poesia e mora na França, onde faz mestrado em comunicação. Apaixonada por viagens e inquieta por natureza, ela encontrou no nomadismo digital o segredo de sua felicidade, e transforma a saudade que sente da família e amigos em combustível para escrever suas histórias.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Joanesburgo: rolê no centro financeiro e cosmopolita da África do Sul pós-apartheid