Sustentabilidade

Desmatamento da Amazônia pode ser o dobro do registrado pelo Inpe, diz site

por: Redação Hypeness

Como noticiou o Hypeness, o desmatamento provocado por queimadas na Amazônia é o maior em sete anos. Colhidos pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), os dados podem ser duas vezes maiores. 

– Os impressionantes registros da NASA sobre a Amazônia em chamas

A Amazônia arde em chamas

Estudo feito por pesquisadores da Universidade de Oklahoma publicado na revista Nature Sustainability e divulgado pela BBC mostra que a parte brasileira da floresta tropical perdeu uma área maior do que a Alemanha. Entre 2000 e 2017 foram ceifados mais de 400 mil km² de área verde. 

Ao passo que o método adotado pelo Inpe registrou, no mesmo período, 180 mil km² de perdas. O sistema adotado pelo órgão brasileiro é o Monitoramento da Floresta Amazônica Brasileira por Satélite (Prodes). 

A diferença se dá pela opção dos norte-americanos por uma forma que impede a interferência de nuvens e sombras, proporcionando uma visão mais clara sobre a real situação amazônica.

Um radar, o PALSAR, consegue capturar as imagens mesmo com nuvens no céu. Os dados são, em seguida, analisados por um algoritmo. Já o satélite utilizado pelo Inpe, LANDSAT, recebeu interferência de nuvens e sombras, prejudicando o resultado final. 

“Uma vez que detecta o desmatamento, o Prodes não olha mais aquela área. Ele só indica desmatamento de floresta primária. O Imazon fez um estudo utilizando uma metodologia que chamamos de MapBiomas, com imagens do satélite LANDSAT, que apontou 12 milhões de hectares (120 mil km²) de floresta em regeneração em 2017”, declarou à BBC Carlos Souza, do Imazon, instituto que realiza análises na Amazônia. 

NASA 

Falando nisso, a agência espacial norte-americana divulgou imagens de satélite das queimadas que tomam conta da região Norte do Brasil e geraram estado de calamidade em Rondônia, além de transformar o dia em noite em São Paulo. O clique mostra o mapa do Brasil coberto por uma fumaça que atinge principalmente o próprio estado de Rondônia, além do Acre, Amazonas e Pará, no Norte. Há ainda registros do Mato Grosso, no Centro-Oeste. 

Nesta quarta-feira (21) o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, foi vaiado durante conferência da ONU sobre o clima em Salvador. Ele colocou na seca a culpa pelos focos de incêndio. 

Satélite registra rastro de incêndios no Brasil

Quem também se manifestou foi Jair Bolsonaro (PSL), que acusou ‘ongueiros’ de atearem fogo deliberadamente na Amazônia em protesto contra congelamento de repasse de verbas por parte do governo federal. 

O presidente, no entanto, não apresentou provas e preferiu classificar a afirmação como seu “sentimento”. 

“Então, pode estar havendo, sim, pode, não estou afirmando, ação criminosa desses ‘ongueiros’ para chamar a atenção contra a minha pessoa, contra o governo do Brasil. Essa é a guerra que nós enfrentamos”, declarou ao deixar o Palácio da Alvorada.

Publicidade

Fotos: foto 1: Fernando Frazão/Agência Brasil/foto 2: NASA


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Moradores do sul são os que mais consomem orgânicos, aponta levantamento