Debate

Monsanto pagou o Google para ‘esconder’ notícias negativas, diz jornal

por: Redação Hypeness

Gigante dos agrotóxicos e acusada de contribuir para o aumento de casos de câncer, a Monsanto pagou o Google para omitir notícias negativas a seu respeito. Segundo o  The Guardian, a companhia mirou jornalistas, ativistas e até o cantor Neil Young. 

– Jardineiro californiano com câncer terminal será a primeira pessoa a levar a Monsanto ao tribunal

A omissão de notícias utilizou táticas adotadas pelo FBI

Carey Gillam, repórter da Reuters, entrou no radar dos executivos do alto escalão depois de matéria investigativa e um livro sobre os impactos na saúde dos produtos vendidos pela Monsanto. Gillam é autora de ‘Whitewash: The Story of a Weed Killer, Cancer, and the Corruption of Science’, lançado em 2017. 

Diante da crise de imagem, a Monsanto fez o que estava ao alcance para minar o trabalho da jornalista, incluindo um acordo financeiro com o maior buscador do mundo, o Google. 

A companhia controlada pela alemã Bayer adotou métodos de inteligência utilizados pelo FBI contra o terrorismo. O ‘centro de fusão’ monitorou organizações alimentícias sem fins lucrativos e os diretores da Reuters. 

“Pressione os editores de Gillam com força. Sempre que for possível. Que ela seja transferida de cargo”, revela o The Guardian sobre discussões entre relações-públicas da Monsanto. 

“Sempre soube que a Monsanto detestava meu trabalho e atuava para pressionar editores e me silenciar. Só que nunca imaginei que uma companhia bilionária perderia tanto tempo e energia comigo. É assustador”, ressaltou a jornalista ao tabloide inglês. 

A revelação aumenta acusações sobre a tentativa da gigante das pesticidas de atenuar ou omitir os reais efeitos do glifosato – herbicida mais utilizado do mundo. 

O Roundup é acusado de aumentar a incidência de câncer

– Monsanto é condenada a pagar 2 bilhões a casal com câncer por agrotóxicos

Some isso ao diagnóstico de linfomas não-Hodgkins ligados ao uso do Roundup, que tem no glifosato um de seus ingredientes principais. Alva e Alberta Pilliod, de 70 anos, foram diagnosticados com o linfoma com apenas quatro anos de intervalo: um em 2011 e outro em 2015. O casal, durante 35 anos, usou o herbicida em um terreno em São Francisco. 

A empresa foi condenada a pagar indenização de dois bilhões de dólares em danos punitivos e mais 55 milhões em danos compensatórios. Cabe recurso.

A Monsanto se recusa em associar o câncer com seus produtos. Sobre o pagamento ao Google, um porta-voz da Bayer, Christopher Loder, preferiu não falar especificamente sobre documentos do ‘centro de fusão’. 

“Os movimentos da Monsanto buscam um diálogo justo, preciso e baseado na ciência para combater a desinformação, incluindo impulsionadas por uma crítica de nossas pesticidas”. 

Publicidade

Fotos: foto 1: Samuel Boivin/NurPhoto via Getty Images/foto 2: Illustration by Scott Olson/Getty Images


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Maisa cita racismo sofrido com pai: ‘Eles vão pela cor de pele’