Empreendedorismo

Negócio familiar supera ‘moda’ dos cupcakes e se solidifica como confeitaria de sucesso

por: Vitor Paiva

Patrocinado por: Shark Tank Brasil

Todo ano, novas modas surgem e se multiplicam pelas grandes cidades brasileiras, como tendências passageiras que por um momento se tornam onipresentes para, em seguida, na maior parte dos casos, desaparecerem como se jamais tivessem existido – em especial na área da gastronomia.

Foi assim com as temakerias, com as lojas de iogurte, de paletas mexicanas, as brigaderias e muito mais. Dois ou três verões depois, essas tendências, que antes pareciam um negócio de ouro, tendem a sumir do mapa, restando somente um ou dois casos realmente de sucesso em cada categoria. Mas o que faz uma marca específica, em meio a uma grande onda de concorrência intensa e clientela volátil, efetivamente se sobressair e conseguir solidificar seu negócio quando a moda passa?

Os cupcakes que começaram o negócio de Luana Davidsohn

E essa é a história da Confeitaria da Luana Davidsohn, um negócio familiar que inicialmente pegou carona na febre dos cupcakes por aqui, para se tornar um case de sucesso que permaneceu – e que hoje fatura bem e se expande. Pois o caso dos cupcakes é exemplar: se poucos anos atrás as lojas ou mesmo a presença do doce era constante pelas grandes cidades brasileiras, hoje poucas permanecem abertas – enquanto a Confeitaria da Luana Davidsohn se solidifica, cresce e enche a barriga dos seus clientes com quitutes deliciosos. Essa pode ser a primeira diferença entre o sucesso e o fracasso: ao invés de simplesmente surfar em uma tendência sem se preocupar com a qualidade especial dos produtos, a Confeitaria da Luana se destacou por doces efetivamente deliciosos, e por um cardápio cheio de opções e qualidade, para além da febre inicial dos cupcakes, na qual tudo começou.

Uma das lojas da Confeitaria da Luana

 Pois a confeiteira que dá nome à loja não é simplesmente uma empreendedora em busca de um lucro rápido: Luana Davidsohn, antes de abrir seu negócio, fez cursos de culinária, panificação e confeitaria na Itália, São Francisco e Paris, e trabalhou em padaria na cidade californiana e também em Nova Iorque. Quando trouxe essa experiência de volta a São Paulo e começou a preparar os primeiros cupcakes em casa, rapidamente a diferença no sabor e na leveza de seus bolinhos – normalmente pesados e excessivamente densos -,de massa fofa e equilíbrio na cobertura, mostraram que seus cupcakes seriam um sucesso de fato. E assim foi: em pouco tempo os pedidos chegaram em massa, e Luana, junto de suas duas filhas, passou a viver em sua casa ao redor de embalagens e de alta demanda. Abrir uma loja tornou-se uma necessidade real.

Marina, Luana e Julia

A empresa assim nasceu, com Luana oferecendo seus dotes de confeiteira, e trazendo para o time também o talento culinário de sua filha Julia, formada em gastronomia, e da outra filha Marina, formada em publicidade. Marina hoje cuida do comercial e do marketing, enquanto Julia é responsável pela produção e também pelo financeiro da empresa. Foi, portanto, depois do sucesso inicial, através dessa verdadeira reunião de talentos de casa, que a boa ideia de Luana se transformou efetivamente em um bom negócio. Atualmente a Confeitaria da Luana já possui duas lojas físicas e parte para a abertura de sua terceira loja em São Paulo – além de ser presença recorrente, oferecendo os doces mais deliciosos, em eventos corporativos, festas e chás de bebê, muitas vezes utilizando os próprios bolos como meio de revelar o sexo do bebê por vir.

Outras delícias da Confeitaria 

Depois de sobreviver à inevitável explosão da bolha da moda dos cupcakes, se firmar como um negócio real e rentável, e confirmar a qualidade de seus produtos e a demanda do público pelo sabor e o diferencial da Confeitaria da Luana, agora parece ser a hora mesmo de expandir – e foi essa expansão que a mãe e as duas filhas levaram ao Shark Tank Brasil. A isca utilizada para pescar os tubarões-investidores do programa não foi só bolinhos e delícias em geral, mas também o próprio sucesso do empreendimento – mas é claro que o sabor foi determinante para encantar os investidores no palco.

Mãe e filhas no palco do Shark Tank

Todos os Tubarões provaram os quitutes da Luana, para só então começarem as negociações. Enfrentar os Tubarões não é bolinho, e a família foi preparada não só com a qualidade dos produtos, mas com boa administração e um plano de expansão e venda para provar que a Confeitaria da Luana não é uma moda passageira. A delícia dos bolinhos, feitos sem conservantes, de forma artesanal, se complementa com um cardápio real e variado, que vai além justamente de qualquer moda para se confirmar como uma confeitaria de verdade – que cativou, enfim, João Appolinário, tanto pelo estômago quanto pelo bolso.

A Confeitaria da Luana enfrentando os tubarões

Appolinário decidiu investir na Confeitaria da Luana, a fim de combinar com um outro negócio que ele possui, de pães – e que carecia justamente de doces no cardápio. As condições de João foram aceitas, e a parceria foi finalmente estabelecida, comprovando que, se a moda dos cupcakes passou, a Confeitaria da Luana veio pra ficar – para alegria dos viciados em bolos e doces em geral. O Shark Tank Brasil vai ao ar no Canal Sony às sextas-feiras, às 22h, com reprise às terças, 22h. Os episódios podem ser vistos também pelo app Canal Sony ou em www.br.canalsony.com.

Abrir o próprio negócio e empreender no Brasil é uma roleta russa de emoções que não é reservada somente para quem está começando. Mas uma coisa é certa: pessoas apaixonadas sempre fazem a diferença.

Negociar com tubarões e mudar vidas: é aí que o Shark Tank Brasil entra, garantindo para os novos empreendedores brasileiros uma chance de decolar com o próprio negócio.

Este conteúdo é um oferecimento do Shark Tank Brasil em parceria com o Hypeness, porque todos merecem a chance de fazer sucesso trabalhando com o que amam.

Publicidade

© fotos: divulgação/reprodução


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.


X
Próxima notícia Hypeness:
Nova Colorado do mês adiciona paçoca em sua receita