Debate

Para convencer amigo a não comprar pug ele usou crânios para falar sobre crueldade animal

por: Redação Hypeness

Não cansamos de falar que adotar é Hype e já explicamos quais motivos fazem com que os vira-latas sejam os melhores doguinhos. Apesar disso, há quem ainda não entenda a relação entre os séculos de cruzamento de raças, as fazendas de filhotes e a crueldade animal, mas um usuário do Imgur tentou explicar a questão usando fotos de crânios de cachorros.

Segundo o usuário identificado como NoNienNietNon, seu amigo queria comprar um mascote. “Meu amigo realmente ama cães com cara achatada e estava falando sobre comprar um puro-sangue de um criador“, escreveu no site. Para justificar que essa não era uma boa ideia, ele recorreu às fotos dos crânios.

Crânio de um terrier

Esse é o crânio de um terrier (mais ou menos do mesmo tamanho que um pug)

Crânios de Pug

Estes são crânios de pugs. ISSO É CRUELDADE ANIMAL

Apesar de serem exemplos pouco explicativos, os pugs são realmente uma raça condicionada ao sofrimento, e costumam apresentar múltiplos problemas de saúde. De acordo com uma reportagem publicada pelo The Guardian, estes animais podem morrer até quatro anos antes quando comparados a cães de outras raças.

Infelizmente, o usuário parece não ter convencido o amigo. Mesmo após argumentar que talvez um bulldog francês fosse mais adequado por ter sido criado para ter um nariz mais longo e, com isso, respirar corretamente, o outro não se convenceu porque o cachorro “não era tão fofo”. Entretanto, a reflexão serve de alerta para o quanto a criação irresponsável de animais contribui para o desenvolvimento de problemas de saúde nos pets.

Publicidade

Foto em destaque: Matthew Henry

Foto: NoNienNietNon/Imgur


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Tá todo mundo louco? Para Jout Jout, a vida millennial é ‘uma cambalhota infinita’