Inovação

Uma ideia simples promete melhorar muito a vida dos dentistas. E dos pacientes

por: Vitor Paiva

Ergonomia é a ciência que estuda a interação entre os seres humanos e máquinas, utensílios ou ferramentas, principalmente em contextos de trabalho. A aplicação dos estudos ergonômicos busca melhorar o bem-estar, a funcionalidade e a produtividade do trabalhador, sem precisar sacrificar nem seu corpo nem o trabalho em si. Fazer as coisas funcionarem melhor para todos os envolvidos – parece algo simples e natural, mas é, em verdade, uma ciência complexa, já que todas as profissões possuem questões ergonômicas a serem melhoradas.

Esse é, definitivamente, o caso do trabalho dos dentistas. A maioria de nós tem medo de ir a um consultório odontológico, principalmente pela possível hora de dor que teremos de atravessar, como uma tortura física e psicológica. Mas e a dor dos dentistas? Quem se preocupa com ela? A resposta é clara: os próprios dentistas. Foi procurando uma alternativa para o contorcionismo que a profissão normalmente exige – e as dores agudas que as posições e posturas desse exercício provocam a longo prazo – que o cirurgião-dentista Roberto Motta chegou a uma solução simples porém revolucionária.

O problema não estava no método, na técnica ou mesmo nos movimentos do dentista, mas sim – de acordo com a visão de Roberto – na posição do paciente. A solução que ele encontrou, portanto, foi retirar a tradicional cadeira de cena, e colocar o paciente de lado, mas não sentado, e sim deitado em uma cama – uma cama odontológica. A ideia, batizada como “Técnica da Lateralidade”, veio como uma verdadeira epifania, e assim que comprovou sua eficácia, o cirurgião-dentista procurou seu amigo Cristiano Gonçalves, que curiosamente conheceu não no consultório, mas em uma aula de dança de salão, e lhe apresentou sua invenção, para que juntos fizessem uma empresa que promete transformar de vez os atendimentos odontológicos.

Cristiano e Roberto

Assim nasceu a Cyon, uma empresa de inteligência em saúde, que não só comercializa os leitos especialmente preparados, como também realiza treinamentos com dentistas para seu uso, a fim de que possam tirar o melhor da cama tanto para os profissionais quanto para os pacientes. 

Um dos modelos da “cama odontológica” da Cyon

Com a Cyon, os dentistas atendem com os braços totalmente apoiados, sem precisarem se projetar sobre o paciente, também com apoio para as costas e os pés, em uma posição confortável que permite ao dentista trabalhar sem praticamente se mexer – e tudo isso por praticamente o mesmo preço que uma cadeira de dentista normal.

 Mas não só a prática profissional e a vida do dentista que a Cyon promete melhorar, mas também a experiência do paciente. Deitado, quem é atendido encontra um evidente conforto maior, além de mudar o ponto de escoamento da saliva e de qualquer outro líquido ou resquício que esteja dentro da boca durante o atendimento. 

Roberto com uma paciente demonstrando o funcionamento da cama

Tal mudança dificulta qualquer engasgo eventual, e facilita a retirada, seja pelo aspirador, seja pelo próprio dentistas, desses restos na boca – além, é claro, de ser atendido por um profissional mais descansado e confortável. Foi com essa ideia de ouro que Roberto e Cristiano foram até o Shark Tank Brasil atrás de um investidor para fazer a Cyon crescer.

O display da empresa no palco do Shark Tank Brasil

E dentes não faltavam entre os Tubarões, sedentos por grandes ideias para investirem. Um Tubarão, porém, teve interesse especial sobre a apresentação da Cyon: antes de se tornar investidora e empresaria, Cris Arcangeli trabalhava justamente como dentista. Assim, ela pôde sentar, testar e atestar que a cama de fato funciona – e que, a longo prazo e com o uso devido, pode de fato significar uma melhoria substantiva na tal ergonomia do dentista com seu equipamento – e na experiência do paciente e na própria vida e saúde do dentista em questão. Rapidamente os Tubarões mostraram os dentes, e as propostas começaram a surgir.

Roberto e Cristiano no programa

Ao fim, quem diria, não foi a ex-dentista quem mordeu uma parte da Cyon – mas foi preciso dois tubarões se juntarem para vencerem a experiência e a proposta de Cris Arcangeli. José Carlos Semenzato apresentou as mais de 100 clínicas populares que possui no Brasil – e que anualmente compram mais de 2 mil conjuntos de aparelhos odontológicos – e ainda trouxe João Appolinário para o negócio. 


A negociação foi árdua, mas não tanto quanto as horas a fio que os dentistas – e pacientes – costumavam atravessar durante atendimentos ou cirurgias. O Shark Tank Brasil vai ao ar no Canal Sony às sextas-feiras, às 22h, com reprise às terças, 22h. Os episódios podem ser vistos também pelo app Canal Sony ou em www.br.canalsony.com.

Abrir o próprio negócio e empreender no Brasil é uma roleta russa de emoções que não é reservada somente para quem está começando. Mas uma coisa é certa: pessoas apaixonadas sempre fazem a diferença.

Negociar com tubarões e mudar vidas: é aí que o Shark Tank Brasil entra, garantindo para os novos empreendedores brasileiros uma chance de decolar com o próprio negócio.

Este conteúdo é um oferecimento do Shark Tank Brasil em parceria com o Hypeness, porque todos merecem a chance de fazer sucesso trabalhando com o que amam.

Publicidade

© fotos: divulgação/reprodução


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
São Paulo finalmente encontra patrocínio para ciclofaixa de lazer