Inspiração

Aos 94 anos e se recuperando de cirurgia, ex-presidente dos EUA constrói casas populares

por: Vitor Paiva

Jimmy Carter deixou a cadeira de presidente dos EUA em 1981, após ocupar o cargo mais alto do executivo do país desde 1977. De lá para cá, Carter se tornou um dos mais ativos ex-presidentes no país em áreas diversas – incluindo na militância e mesmo no trabalho efetivo pela construção de casas populares no país. Recentemente o ex-presidente foi fotografado de volta ao trabalho voluntário na Habitat for Humanity, com dois detalhes tocantes: aos 94 anos, Carter se recupera de uma recente cirurgia no quadril, após sofrer uma queda em casa.

Carter e sua esposa Rosalynn, casados há mais de 70 anos, trabalham no projeto desde sua fundação, em 1984, pela construção de casas de baixo custo. O projeto conta com mais de 100 mil participantes em 14 países, e já construiu mais de 4,3 mil casas através de trabalho exclusivamente voluntário.

Jimmy e Rosalynn Carter trabalhando na construção

Em 2015 o ex-presidente superou quatro tumores no cérebro, após seis meses de radioterapia e uso de remédios e tratamentos experimentais.

Para espanto ainda maior, essa não é a primeira vez que o mais velho ex-presidente dos EUA trabalha com a Habitat for Humanity durante recuperação: dois anos atrás, Carter deixou tratamento por desidratação para construir casas no Canadá.

E não há qualquer indício de aposentadoria para a família: em outubro, o casal irá para Nashville a fim de auxiliar na construção de 21 novos imóveis, na 36a participação do ex-presidente e da ex-primeira-dama no projeto.

Publicidade

© fotos: divulgação


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Mulher investe quase R$ 150 mil e gasta mais de 200 horas para tatuar corpo da cabeça aos pés