Criatividade

Como uma mobilização de influenciadores no Instagram está ajudando na prevenção de suicídios

por: Vitor Paiva

Na segunda-feira passada, 50 das maiores celebridades do Instagram brasileiro simplesmente desapareceram da rede social. Quem procurou pelos perfis de nomes como PC Siqueira, Glórias Pires, Evaristo Costa, Jojo Todynho ou Juliana Paes no último dia 09 percebeu: essas contas, entre muitas outras, haviam sido desativadas. O motivo do gesto coletivo visava uma causa nobre: um dia antes do Dia Mundial de Prevenção do Suicídio, em 10 de setembro, as celebridades desativaram suas contas no Instagram para chamar atenção do tema e promover a ONG CVVCentro de Valorização da Vida, que trabalha nesta justa causa.

A maioria das contas foi reativada 24 horas depois, com posts e stories divulgando a ONG e aproveitando o buzz provocado pelo desaparecimento coletivo para conscientizar a internet a debater o tema da saúde mental – assunto tratado como tabu, mas que precisa de atenção especial.

Os posts na conta da apresentadora Ana Maria Braga

Trata-se, afinal, de causa urgente: a cada 40 segundos uma pessoa se suicida no mundo, e é essa a segunda causa mais frequente de morte entre jovens dos 15 aos 29 anos. A campanha no Instagram levou o tema a mais de 110 milhões de pessoas, através dos seguidores de celebridades como Fábio Porchat, Ana Maria Braga e Leticia Sabatella, que também participaram do ato.

Rapidamente a ação trouxe impactos consideráveis para o CVV: as redes sociais do Centro cresceram em 50%, e o aumento nas doações e adesões de novos voluntários – principal objetivo da campanha – já começou a ser acompanhado. A ação foi um colab entre as agências Peppery e a SunsetDDB, sem marca ou cliente envolvido. Nunca na história se falou tanto no CVV como no dia mundial de prevenção do suicídio, o que reforça o impacto da ação.

Em 90% dos casos, problemas tratáveis, como depressão, doenças mentais ou uso excessivo de drogas motivam suicídios que poderiam, portanto, ser evitados. Um meio de combater tais males é acessar o próprio Centro de Valorização da Vida, que oferece apoio emocional e ajuda para prevenir o suicídio, através de conversas por telefone, e-mail, chat ou Skype 24 horas por dia. Para saber mais, acesse o site do CVV ou ligue 188, e fale com um dos atendentes voluntários.

Publicidade

© fotos: reprodução


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Primeiro museu de maquiagem do mundo tem lista de espera antes de inauguração