Sustentabilidade

O Brasil já está se preparando para gerar energia elétrica com a força das marés

por: Vitor Paiva

Se o futuro terá de ser alimentado por fontes de energia sustentáveis e limpas, hoje a geração por parques eólicos corresponde a 9,09% e por fontes solares somente 1,27% da matriz energética no Brasil. Existem hoje 615 usinas eólicas e 2.427 usinas solares funcionando no país, com 56 novas usinas de vento e 30 de energia solar em construção. Uma nova fonte limpa e sustentável, porém, pode ampliar os usos alternativos e abrir uma nova frente importante: a tecnologia maremotriz, utilização da força das marés para produzir energia renovável.

A tecnologia já é utilizado em países diversos, como Reino Unido e Canadá, e se baseia no movimento dos mares para movimentar turbinar e gerar, assim, eletricidade – de forma similar à tecnologia eólica, mas com mais força e eficácia, devido à densidade da própria água, capaz de gerar mais energia. Pelo Brasil possuir considerável domínio em instalações oceânicas, como nos casos de plataformas de petróleo e gás, a utilização dessas turbinas se apresenta como uma possibilidade viável para o país.

Usina de energia maremotriz na Coréia do Sul

A instalação é mais cara do que, por exemplo, o uso de tecnologia eólica, mas a imensa costa brasileira de mais de 9.2 mil quilômetros, oferece a dimensão do potencial de tal uso – que deve ser medido mais pelo grande potencial de geração de energia de forma limpa e não poluente do que pelo custo inicial, de acordo com especialistas. A escolha dos melhores pontos para instalação das turbinas não é simples, já que deve respeitar rotas de navegação, sem que uma turbina atrapalhe o funcionamento da outra, além de eventual impacto sobre a vida marinha, através de possíveis alterações no leito submarino e no processo de reprodução de peixes.

Usina na Inglaterra

A pesquisa a respeito do tema vem sendo liderada pelo professor e especialista na área Gustavo Assi, do Departamento de Engenheria Naval da Escola Politécnica da USP. Segundo Assi, dois mais elementos são fundamentais para o uso de tal tecnologia: a previsibilidade e o fato de ser efetivamente inesgotável.”Ao contrário da energia eólica, que depende dos ventos, e da solar, que depende da incidência de luz, com a energia das marés nós podemos prever com exatidão a geração de energia. Além disso, enquanto o Sol, a Terra e Lua circularem entre si, será possível gerar energia dessa forma. Ou seja: para sempre”, disse o professor.

 

Publicidade

© fotos: divulgação


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Entenda a função do bosque de conservação urbana recém inaugurado na 23 de maio