Debate

Prova de mulheres passando roupa no ‘Domingo Legal’ reforça estereótipos de gênero e revolta internautas

por: Redação Hypeness

O ‘Domingo Legal’, do SBT, abusou do machismo ao realizar uma competição em que mulheres precisam passar roupa para ganhar o coração dos pretendentes e, de quebra, de suas mães. O quadro ‘Xaveco’ do programa apresentado por Celso Portiolli causou mal estar nas redes sociais. 

– Brasileiro que ofendeu russa com sexismo na Copa vai à justiça contra Globo

O machismo foi tema no SBT. De novo

As pessoas ficaram espantadas com a coragem da emissora de exibir uma cena tão retrógrada e inapropriada. Teve mais machismo, a mãe de um dos pretendentes questionou uma das candidatas se ela sempre usava roupa curta. 

Não foi só isso, uma mulher teve que responder se sabia lavar roupa. “Lavo, passo, cozinho, bordo, faço o que precisar”. Oi? “Tem que cuidar muito bem do meu filho”, reforçou a mãe. 

Eis que Celso Portiolli entra em cena. Em tom de brincadeira, o apresentador pediu duas tábuas de passar roupa e iniciou a competição. “Vocês terão que passar essa camisa. O filho vai provar e vai escolher a melhor. A mamãe vai ajudar”, encerrou. 

Mulheres tiveram que passar roupa para ganhar pretendentes

A repercussão negativa fala por si só…

1.

2.

3.

4.

Machismo na TV 

Não é a primeira vez que a televisão brasileira protagoniza cenas tão machistas quanto a exibida pelo ‘Domingo Legal’. Historicamente, as mulheres sempre foram objetificadas diante das câmeras. De forma sutil ou nem tanto assim. 

O próprio SBT ostenta situações constrangedoras e com estereótipos de gênero. Silvio Santos realizou um desfile com menores de idade usando maiô. Durante o ‘Teleton’,  o homem de 89 anos constrangeu Claudia Leitte ao dizer que estava excitado com o vestido usado pela cantora

“Esse negócio de abraço me deixa excitado”, disse. 

Silvio Santos constrangeu Claudia Leitte ao vivo

A objetificação não está só em Silvio Santos ou Celso Portiolli, concorrentes como Faustão também usam corpos femininos para conseguir índices melhores de audiência. Estamos em 2019, mas ainda é comum ver no programa exibido aos domingos pela TV Globo mulheres dançando com pouca roupa. Aliás, tática escolhida pelo extinto ‘Pânico na TV’ e suas panicats. 

O coro feminino é alvo de todas as formas. A deputada federal Sâmia Bomfim (PSOL-SP) é assunto recorrente de falas gordofóbicas de Danilo Gentili. Aliás, no caso Claudia Leitte, o apresentador chegou a citar ‘machismo reverso’ (que não existe) para defender o patrão. 

‘Capitu’, personagem da nova ‘Escolinha do Professor Raimundo’

O humor brasileiro é outra expressão do machismo. ‘Escolinha do Professor Raimundo’, ‘Zorra Total’, em comum os programas possuem a insistência de colocar a mulher como subalterna. O corpo, mais uma vez, é o que importa. Saias curtas, poucos diálogos e até mesmo e frases irônicas sobre uma possível falta de inteligência. 

A atriz e humorista Ingrid Guimarães colocou o dedo na ferida ao discutir no documentário ‘Viver do Riso’ a relação entre estereótipos de gênero e a ausência de mulheres no processo criativos de humorísticos. 

“Quando me toquei de que as minhas grandes referências de comédia eram só homens, falei: ‘por que será?’. Ai resolvi que o primeiro episódio ia ser só sobre a mulher no humor e por que, para nós, foi tão difícil”, disse no ‘Conversa com Bial’. 

Publicidade

Fotos: Reprodução


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Quem foi o camponês símbolo da luta contra agrotóxicos morto por doença provocada por veneno