Diversidade

Ageísmo: campanha combate o preconceito contra pessoas idosas

por: Vitor Paiva

Se o combate ao preconceito deve ser irrestrito e incansável, há um tipo de discriminação que irá afetar a todos, seja qual for o gênero, a raça, a cor, a classe social ou a orientação sexual: o ageísmo, também conhecido como preconceito pela idade. Trata-se da intolerância contra o idoso, normalmente fomentada, como em outras naturezas de preconceito, pela propagação de uma série de mitos a respeito da velhice que precisam ser combatidos – e essa é a causa da campanha #OrgulhoPrateado.

Dentre os mitos que fomentam o preconceito contra o idoso, os mais comuns sugerem, entre outros, que existe um idoso típico, que todo idoso é dependente, que os gastos com a população mais velha não são investimentos, que saúde boa é a ausência de doença e que aposentadoria mandatória pela idade ajuda a criar empregos para os jovens. Tais máximas irreais foram levantadas pela Organização Mundial de Saúde como falácias que precisam ser combatidas no trato com a população “prateada”.

É essa a motivação da USP Aberta à Terceira Idade no lançamento da campanha #OrgulhoPrateado: promover a conscientização, a educação e o contato entre diferentes gerações como as medidas mais eficazes para combater o ageísmo. A campanha é uma parceria com a Liga Solidária e a Secretaria Municipal dos Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo, e trata-se também de uma oportunidade para se refletir sobre a passagem do tempo, o processo de envelhecimento e o respeito aos mais velhos de forma positiva – envelhecer é, afinal, o melhor destino possível para todos nós.

Publicidade

© fotos: divulgação


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Maioria das pessoas com menos de 16 anos nos EUA é não-branca e hispânica pela 1ª vez na história