Debate

Filmes sobre caso Richthofen serão lançados em 2020 e já causam debate antes de chegar ao cinema

por: Redação Hypeness

A história de Suzane von Richthofen, que planejou a morte dos pais em 2002, vai virar filme. Na verdade são duas produções, com estreia simultânea prevista para 2020. Os longas serão lançados no mesmo dia e terão sessões alternadas nas mesmas salas. 

‘A Menina que Matou os Pais’ e ‘O Menino que Matou meus Pais’ narram os fatos da mesma história, mas de pontos de vista diferentes. Segundo a Galeria Distribuidora, as produções condensam as versões apresentadas por Suzane, que cumpre prisão no interior de São Paulo e Daniel Cravinhos, também condenado pelo assassinato de Manfred e Marísia. 

O crime cometido por Suzane é tema de dois filmes

A notícia rendeu críticas de pessoas que discordam a exposição excessiva que toma conta do crime bárbaro desde o início. Os roteiristas Ilana Casoy e Raphael Montes explicaram em entrevista ao UOL que os filmes dirigidos por Maurício Eça pretendem entender as razões do crime. 

– Prefeito e médico abusa de mulheres e filma crimes há décadas no Ceará

“A arte nunca deve ser censurada. Análises e críticas são bem-vindas, claro. De certa forma, Suzane sempre foi glamourizada pela mídia jornalística. O crime cometido por eles foi chocante, não há nenhum glamour nisso”. ressaltam. 

Os autores de ‘Bom Dia Verônica’, thriller investigativo que virará série da Netflix,  assinalam que o objetivo de ambas as produções é “abordar o aspecto psicológico, mergulhar em camadas mais profundas que levaram ao trágico crime. Todas as matérias de jornal tratam do que veio depois do crime. Nossa abordagem é o que veio antes do crime. Juntos, Daniel e Suzane foram letais. Eles seriam assassinos se nunca tivessem se apaixonado?”.

Carla Diaz, que vive Suzane, tinha 12 anos na época

O elenco conta com Carla Diaz, que vive Suzane von Richthofen e Leonardo Bittencourt, que interpreta Daniel Cravinhos. Carla, com 12 anos na época, contou ao G1 sobre a experiência de atuar em uma produção deste nível. 

“Fui educada amando meus pais. Não entra na minha cabeça uma filha fazer isso com os próprios pais. Olhando para a história por esse ponto de vista, assumir esse papel é um grande desafio pra mim como atriz. É uma história tão trágica e chocante pra todo mundo. Realmente acredito que histórias assim não podem ser esquecidas”, conclui.  

Suzane pastora?

Na vida real, Suzane segue despertando curiosidade. De acordo com matéria da revista Época, ela se prepara para se tornar pastora. Cumprindo sentença de 39 anos de prisão em Tremembé (SP), Suzane vive na cidade de Angatuba durante as chamadas ‘saidinhas’. 

Ela usa peruca e atende pelo nome de Louise para fugir de olhares curiosos. O anonimato, segundo a reportagem, cai apenas durante os cultos da Igreja do Evangelho Quadrangular Central, onde tira selfies com os fiéis. 

Para se tornar pastora, no entanto, Suzane von Richthofen precisará convencer a Justiça, que baseada em uma série de testes psíquicos, classifica a criminosa como “vazia, infantilizada, manipuladora, desvalorizadora do ser humano, dissimulada e egocêntrica”.

Publicidade

Fotos: foto 1: Luara Leimig/TV Vanguarda/Reprodução/foto 2: Divulgação


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Legalização da maconha medicinal sem autorização para plantio desanima pacientes