Ciência

Harpia: um pássaro tão grande que alguns pensam que é uma pessoa fantasiada

Gabriela Glette - 25/10/2019

Majestoso e grande. Tão grande que as pessoas pensam que este pássaro é uma pessoa fantasiada. Popular na internet, este animal peculiar vem suscitando dúvidas no ambiente digital, afinal, sua cabeça tem tamanho e formato parecido com a dos humanos. No entanto, iremos acabar rapidamente com sua dúvida: este pássaro não é um cosplay, mas sim uma harpia.

harpia que parece pessoa 1

Também conhecido como gavião-real, o pássaro é a mais pesada e uma das maiores aves de rapina do mundo, com envergadura de 2,5 metros e peso de até 12 quilos.

harpia que parece pessoa 2

As harpias geralmente vivem nas florestas tropicais das planícies. No entanto, devido à destruição de seu habitat, ela já foi quase erradicada da América Central. Atualmente restam menos de 50 mil deles em todo o mundo.

harpia que parece pessoa 3

A harpia e a mitologia

O nome ‘harpia’ faz referência à mitologia grega. Para os gregos antigos, elas eram representadas como aves de rapina com rosto de mulher e seios.

harpia que parece pessoa 4

Por causa do tamanho e ferocidade do animal, os primeiros exploradores europeus da América Central nomearam estas águias, como ‘harpias’. Um ser grandioso e misterioso.

Publicidade

Fotos: reprodução


Gabriela Glette
Uma jornalista e produtora de conteúdo que mora na França. Apaixonada por viagens e inquieta por natureza, ela encontrou no nomadismo digital o segredo de sua felicidade, e transforma a saudade que sente da família e amigos em combustível para escrever suas histórias. Gabriela também é fundadora do site Quokka Mag, onde fala apenas sobre coisas boas!

Warning: file_put_contents(/var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/cache/twitter-stream-hypeness.txt): failed to open stream: Permission denied in /var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/social.php on line 410


X
Próxima notícia Hypeness:
NASA está construindo um telescópio caçador de asteróides para identificar corpos perigosos