Ciência

Mapa interativo mostra o assustador desaparecimento do gelo do Ártico

por: Vitor Paiva

Ainda que as mudanças climáticas provocadas pela ação humana sejam comprovadas por toda a comunidade científica e que os efeitos dessas mudanças possam ser vistos e medidos muitas vezes a olho nu, ainda há quem goste de questionar a veracidade desses fatos. O preço tal questionamento quem paga é o planeta – e, com ele a humanidade – e as geleiras do Mar Ártico são um dos pontos mais afetados pelo aquecimento global. Para quem, por motivos inexplicáveis, ainda duvida do padecer do meio-ambiente, um aplicativo foi desenvolvido monitorando a redução do gelo nesse mar.

Intitulado Sea Ice Aware, o aplicativo, também apresentado em uma plataforma, foi desenvolvido pela empresa analítica Esri, e oferece um mapa interativo que exibe informações e registros mensais da dimensão das geleiras do Ártico desde 1979 até hoje. Alguns diagramas também mostram os maiores e menores níveis de gelo registrados anualmente na região – detalhados através de outras informações referente aos efeitos da ação humana.

Acima, o mapa indicando a geleira; abaixo, algumas das informações oferecidas pelo app

A atualização do aplicativo será mensal, através de dados recebidos de relatórios do Centro Nacional de Informações de Neve e Gelo, e da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica, órgãos dos EUA.

O efeito do derretimento das geleiras ameaça também os animais da região

O mapa pode ser navegado diretamente na plataforma, e o app pode ser baixado no site da Esri.

O pontilhado em amarelo mostra a antiga dimensão da geleira

Publicidade

© fotos: divulgação/reprodução


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Alimentos nocivos ao meio ambiente também fazem mal à saúde humana, conclui estudo