Entrevista Hypeness

Meu amor é próprio: Ju Romano dá dicas para uma rotina de autocuidado

por: Redação Hypeness

O autocuidado é sinônimo de amor próprio e, obviamente, é muito importante que se faça presente na nossa rotina. Mas o cuidado pessoal vai além do âmbito da saúde do corpo. Precisamos prestar atenção na nossa mente e nas nossas relações com o próximo para que tudo flua de forma leve e respeitosa.

Buscar ter saúde mental e relacionamentos harmoniosos é imprescindível, mas ainda não faz parte da rotina de todo mundo. A youtuber Ju Romano tem uma lista imensa de pequenas atitudes que mudaram completamente sua rotina.

Ela passou a trabalhar seu amor próprio há 10 anos e falou com o Hypeness sobre a relação entre o autocuidado e o amor por si mesma. Isso tudo tem a ver com importância de se aceitar e se sentir bem consigo mesma.

Confira a entrevista:

Que dicas você daria para quem está em busca do amor próprio?

A minha maior dica pra quem está em busca do amor próprio é o autoconhecimento. Saber quais são suas qualidades, gostos, hobbies, no que você é boa, o que você gosta de fazer e como é a melhor maneira de cuidar do seu corpo. Sempre lembrar que seu corpo é sua casa, você tem que cuidar dele da melhor maneira possível, porque é ele que vai estar com você 100% dos momentos. Lembrar também de que não tem nada de errado com seus gostos, eles não são piores ou melhores do que os de ninguém, são eles que fazem você ser única.

Como foi a sua experiência em busca do seu? Como a moda e a maquiagem te ajudaram nesse momento?

Eu trabalho meu amor próprio todos os dias há mais de 10 anos, é um processo diário mesmo. Começou quando eu tinha 19 anos (hoje tenho 30) e percebi que tentar corresponder às expectativas dos outros, em diversos aspectos, estava acabando com a minha saúde mental. Por meio de autoconhecimento, entendi o que eu realmente gostava, como eu realmente me identificava, me ajudou muito a não me importar tanto com as opiniões alheias. Aos poucos eu fui conseguindo apreciar cada particularidade da minha personalidade e do meu corpo. A moda e a maquiagem me ajudaram a expressar de forma estética como eu me sinto por dentro, quem eu sou e várias nuances da minha personalidade.

Você acha que as redes sociais podem ajudar nesse processo? Se sim, como?

Eu acho que as redes sociais podem fazer bem ou mal dependendo do que você está buscando e com quem você tem contato. Se o seu objetivo é se entender melhor, ser mais livre, pegar dicas que funcionem para sua vida e você acaba seguindo perfis que levam esse tipo de informação, então podem ajudar demais. Por outro lado, se uma pessoa só seguir perfis opressores, com regras de moda e de comportamento, por exemplo, então podem acabar fazendo muito mal. No fim, o impacto que as redes sociais terão sobre você é baseado no que você tem o hábito de ficar olhando. Meu conselho, pelo bem da saúde mental, é que siga pessoas que tenham a realidade mais próxima possível da sua e entenda que nas redes é compartilhado o melhor dos momentos, a melhor foto, etc. Nem tudo nas redes é fiel à realidade e aquele momento é 1% do dia da pessoa, os outros 99% são tão cheios de dúvidas e questões como qualquer outra vida.

Como é a sua rotina de autocuidado? Você acha que ele contribui para um maior amor próprio?

Essa lista é longa, porque eu não acredito que autocuidado é só “ter um momento de prazer consigo mesma”. Na minha concepção autocuidado é aquilo que você faz para cuidar de si, da mente e do corpo, e nem sempre isso vai dar um prazer de imediato. Eu entendi que meu corpo precisa de hidratação e atividades físicas, então coloquei metas de quantidade de água a ser tomada por dia e metas de frequência na academia. Nem sempre estou com sede ou com vontade de ir me exercitar, mas me esforço para isso porque é meu jeito de cuidar do meu corpo. Também sei que minha pele e meus olhos são bens preciosos para levar uma vida de qualidade, então uso hidratante, protetor solar e lentes Transitions® todos os dias, que ajudam a proteger dos raios UV, da luz azul nociva além de trazer conforto e estilo a visão. Para cuidar da mente, eu comecei a fazer um planner que me ajuda muito a aliviar a carga mental no trabalho e também desenvolve o meu lado artístico – além de ter virado um hobby prazeroso. No fim, cumprindo as metas, eu me sinto no controle da minha vida, eficiente, protegida, competente, saudável e isso, claro, reflete no meu relacionamento com meu amor próprio. Enxergar minhas qualidades na prática e no dia a dia ajuda muito a amar cada dia mais a mulher que eu sou.

Foto: Divulgação WonderSize

O que você diria para uma pessoa super tímida que tem muita vontade de fazer seu próprio estilo, mas ainda não conseguiu?

Primeiro diria a ela para procurar de onde vem a timidez. Será que é medo do julgamento alheio? Será que é porque ela ainda é insegura com o corpo? Será que é só um medo de chamar atenção? É sempre bom analisar e racionalizar a raiz das nossas vergonhas para assim saber como enfrentá-las ou conviver melhor com elas. Depois de entender o que você está ou não disposta a enfrentar, aí sim você pode desenvolver seu estilo – e vale para estilo de roupa ou para estilo de vida. Em questão de moda, a maior dica é salvar referências do que você acha bonito, independentemente do que outras pessoas achem. As roupas são suas, você quem vai pagá-las e usá-las, deixe que o gosto do outro prevaleça sobre as roupas dele. Depois de salvar as referências, procurar coisas que sejam parecidas. Nesse aspecto as redes sociais podem ajudar muito: seguir perfis de moda, com mulheres de corpos parecidos ao seu, pode ser uma maneira de visualizar como as peças podem ficar boas, combinações, dicas, etc.
Acho que o mais importante é entender que você não tem que ter um estilo específico, que cada pessoa tem uma maneira de se comunicar por meio de roupas e está tudo bem ser mais básica ou mais chamativa, não existe certo e errado.

O que você acha que as pessoas precisam procurar em uma amizade pra saber se esta é realmente saudável?

Qualquer relacionamento é saudável quando as duas partes se sentem confortáveis para serem quem são, sem medo, ansiedade ou necessidade de aprovação. Para mim, uma amizade saudável é ter aquela amiga com quem você pode sempre contar, que te ajuda a crescer e te impulsiona pra frente. Saber identificar quando uma pessoa está só sugando suas energias, te colocando pra baixo e/ou relembrando a todos os momentos suas inseguranças, é essencial para se livrar de amizades tóxicas.

Como podemos fortalecer amigos que precisam de apoio?

Nem todo mundo sabe pedir ajuda, né? Essa é a parte mais difícil, mas empatia é algo que pode ser treinado. Se colocar no lugar do outro e tentar imaginar como ele se sente, como é sua visão de mundo e como deve ser estar passando pelo que ele passa é o primeiro passo para dar apoio de forma verdadeira. Cada pessoa enxerga o mundo e reage a ele de uma forma diferente. Lembrar seus amigos de suas qualidades, de como eles são queridos, importantes e necessários é uma forma carinhosa de dar apoio. Às vezes a gente só precisa que alguém nos lembre coisas que vamos esquecendo com a loucura do dia a dia.

Ju Romano é embaixadora da Transitions, líder mundial na produção de lentes fotossensíveis. A marca foi pioneira na fabricação e comercialização de lentes adaptáveis de resina lá em 1990 e hoje é uma das mais reconhecidas do ramo óptico.

Publicidade


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Músico recupera violino de R$ 1,3 milhão esquecido em trem