Design

Os jardins de água da arquiteta Junya Ishigami parecem magia ou ilusão de ótica

Vitor Paiva - 25/10/2019 | Atualizada em - 25/11/2019

A jardinagem japonesa é sinônimo de meditação, contemplação e tranquilidade – e o trabalho da arquiteta Junya Ishigami floresce no exato ponto entre a arte, o paisagismo e o cenário de um sonho. Localizado na prefeitura de Tochicgi, na ilha de Honshu, seu “Jardim de Água” foi construído com mais de 318 árvores e 160 pequenos lagos – em padrões realizados com artefatos tecnológicos mas que trazem a sensação de maior naturalidade – e tranquilidade – possível.

Como uma verdadeira ode à natureza, o trabalho de Ishigami simula a natureza e convida quem o vê à meditação e à contemplação à beleza da natureza. O “Jardim de Água” nasceu como obra de arte mas se tornou um verdadeiro organismo natural, hoje com uma dinâmica interna que o transforma em uma arquitetura viva, um paisagismo impactante – e, feito fosse mágica, um oásis de serenidade em meio à fúria do mundo atual.

Publicidade

© fotos: Junya Ishigami


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, Vitor Paiva é doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores, publica artigos, ensaios e reportagens.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.