Debate

Paola Carosella detona homem que chamou modelo de ‘gorda’ no Twitter

por: Redação Hypeness

A chef Paola Carosella não costuma deixar passar comentários sem noção de seguidores em redes sociais. Não foi diferente em relação a uma postagem que ela fez no Twitter sobre uma modelo da Victoria’s Secret.

A marca norte-americana de lingerie tem pretendido ser um pouco menos excludente em relação ao corpo de suas modelos. Uma delas é definida pela companhia como modelo plus size por ter um corpo curvilíneo, para espanto da jurada do ‘MasterChef’.

A jurada do MasterChef Paola Carosella

– Suposta angel ‘plus size’ da Victoria’s Secret prova que a marca precisa ser resetada.

A chefe argentina tuitou: “Esta mulher linda, natural, que evidentemente se alimenta de comida e que tem um corpão cheio de curvas é a modelo PLUS SIZE da Victoria’s Secret. Que irresponsabilidade falar que um corpo assim é plus size! Que pressão estão colocando sobre as mulheres e meninas!? Sinistro”.

Muitos usuários se manifestaram a favor da opinião da chef, concordando que a marca de lingerie contribui para distorcer a impressão que mulheres têm do próprio corpo e pressionando-as a seguir um ideal estético que é descolado da realidade.

Porém, um homem quis trazer a sua opinião: “Correto. O certo é chamar de gorda. Na real eu gosto de gordas, mas fico preocupado com a saúde delas”, respondeu ele no tuíte da jurada.

“Se você acha a mulher da foto gorda, quem fica preocupada com a tua saúde sou eu”, rebateu Paola. “Tinha que ser macho escroto passando vergonha na internet”, resumiu um usuário da rede social.

Show de aceitação

A chef Paola Carosella já falou outras vezes sobre estética e aceitação do corpo feminino. Ela deu um show de aceitação, sem a menor intenção de se enquadrar em padrões de beleza que são irreais para a maioria das mulheres.

“Essa moça do maiô verde aí da foto sou eu. Eu que tenho 45, quase 46 anos, e por quase toda a minha vida tive vergonha de tirar a camiseta ou o vestido e de mostrar o meu corpo na praia”, escreveu em um post no Instagram quando foi capa da revista Claudia.

“Sim, essa aí sou eu”, continuou, “essa mulher linda de 45, que hoje não tem mais vergonha em tirar a camiseta ou o vestido e de mostrar o corpo que tem com as suas estrias, celulites e joelhos gordinhos. Que passeia o bumbum gigante com movimentos harmoniosos e um sorriso no rosto por que essa é ela, essa sou eu, em toda minha expressão”.

View this post on Instagram

Essa moça do maiô verde aí da foto sou eu. Eu que tenho 45, quase 46 anos, e por quase toda a minha vida tive vergonha de tirar a camiseta ou o vestido e de mostrar o meu corpo na praia. Eu, que andava sempre de roupas longas para cobrir minhas estrias e celulites e o meu bumbum gigante. Essa moça que tinha vergonha dos seus joelhos por serem gordinhos e mio tortos, a das coxas grandonas que se roçam uma com a outra ao andar, aquela moça de maiô verde que tem barriga e pernão grande. Essa ai sou eu. Sim, essa ai sou eu. Essa mulher linda de 45, que hoje não tem mais vergonha em tirar a camiseta ou o vestido e de mostrar o corpo que tem com as suas estrias, celulites e joelhos gordinhos. Que passeia o bumbum gigante com movimentos harmoniosos e um sorriso no rosto por que essa é ela, essa sou eu, em toda minha expressão. Porque esse corpo é a embalagem do que eu sou e do que realmente importa de mim. Porque essa pele é a pele que embrulha a mulher de quem me orgulho. Porque esses limites que a minha pele impõe, embrulham um universo que é muito maior do que a aparência. Se os outros me acham ou não bonita, pouco importa. Eu aprendi a amar todo o que está dentro dos limites dessa minha pele. Deixei de ser cruel comigo mesma, deixei de me criticar, de me encher de culpa de me questionar porque meu corpo não era mais magro, meus joelhos mais retos, meu bumbum menor, minha pele clara e sem varizes e comecei a ser amiga de mim mesma. A entender porque minha pele não era clara e estava cheia de varizes e porque o meu corpo não era mais magro, comecei a dar risada de mim e minha crueldade e comecei a me amar. Eu sou hoje a minha melhor amiga. E isso sim que importa, e muito. A beleza verdadeira, a beleza poderosa, a beleza que arrasa e vai além é a que vem do amor que sentimos pelo que somos. E não pela embalagem. Ser, não ter. Estou extremamente feliz de estar na capa da Revista Claudia com o maiô verde, símbolo da campanha de Natura Tododia, que reforça que todo corpo está pronto para o verão, e convida as mulheres para viverem seus corpos em toda sua plenitude nessa estação tão gostosa. #VivoMeuCorpo @naturabroficial #EuTenhoDireito @claudiaonline

A post shared by Paola Carosella (@paolacarosella) on

Publicidade

Foto: Reprodução/Instagram


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Rita Lobo rebate comentários machistas: ‘Não casaria com homem que não sabe cozinhar’