Diversidade

Respeita as mina! Campeonato Brasileiro Feminino 2019 faz história e bate recordes

por: Redação Hypeness


O Campeonato Brasileiro de futebol feminino acabou fazendo bonito. Quer dizer, fazendo história. Com o inédito bicampeonato da Ferroviária, que bateu o Corinthians em pleno Parque São Jorge (SP), a modalidade tem conquistas para celebrar. 

O perfil da Dibradoras – que aliás já conversou com o Hypeness sobre o futebol feminino – listou alguns números positivos da competição. Prepare-se para ler a palavra história algumas vezes nesta matéria. 

– Conversamos com as Dibradoras, as minas que deram um bico no machismo pelo amor ao futebol

Competição atingiu mais de 13 milhões de pessoas

A Ferroviária, que realiza investimentos constantes no futebol feminino, está colhendo os frutos. Bem maduros, diga-se. Além caneco, o time do interior de São Paulo teve a primeira treinadora campeã da história do Campeonato Brasileiro

Tatiele Silveira, de 39 anos, não escondeu a alegria de erguer a taça do Brasileirão. Detalhe, ela trabalhou com outras cinco mulheres na comissão técnica. 

“É a realização de um sonho! É o primeiro ano que participo da primeira divisão do Campeonato Brasileiro e pude trabalhar com um grupo de jogador as fantásticas. As meninas desde o início do trabalho foram muito comprometidas e a gente foi criando um corpo, uma conexão. Contemplamos essa temporada com o título, isso é único”, disse ao site da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). 


O sucesso e atenção do público se devem também ao trabalho de alguns veículos de comunicação. A transmissão da final pela Band alcançou o terceiro lugar na audiência. Metade dos 134 jogos foram exibidos pela CBF TV e no Twitter – mais de 13 milhões de pessoas atingidas

“A gente sempre acreditou no potencial do futebol das mulheres e nenhum desses números é surpreendente para nós. Como bem disse a Rapinoe, o pessoal tá chegando um pouco atrasado, mas não tem problema, a gente perdoa. Daqui pra frente não tem volta. Elas vão continuar distribuindo ~dibres e gols em campo e a gente vai continuar seguindo essas mulheres por aí, em todos os cantos desse Brasil. Esperamos que todo mundo que chegou agora tenha vindo pra ficar. Está mais do que na hora de dar ao futebol das mulheres o protagonismo que ele merece. Vamos juntos?”, diz o texto publicado pelas Dibradoras. 

Ainda falta 

A história (disse que o termo ia se repetir) foi feita. E daqui pra frente? Mesmo ostentando conquistas, muitas delas por causa dos esforços individuais, não de cartolas, ainda há muito o que melhorar. 

O desequilíbrio entre equipes ainda é enorme e ficou escancarado com a vitória do Flamengo por 56 a 0 contra o Greminho FC. A partida pela terceira rodada do Campeonato Carioca rendeu críticas ao método adotado pela Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro, que inchou a competição com uma penca de times, mas não investe em estrutura para elevar o nível.   

Nathalia Lima, de apenas 15 anos, é atacante do Greminho FC. A jogadora do time de futebol amador da zona oeste do Rio de Janeiro fez um desabafo que mostra o tamanho do desafio de mulheres que lutam pelo direito de jogar bola. 

Para a comentarista Ana Thaís Matos, falta seriedade dos homens que controlam os rumos da competição protagonizada por mulheres. 

Publicidade

Foto: Lucas Figueiredo/CBF


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Preconceito de moradores contra jovem negro fotógrafo levanta debate sobre racismo