Inspiração

A saga dos restaurantes ‘sem preço’ criados por Bon Jovi para ajudar pessoas necessitadas

por: Kauê Vieira

Com mais de 30 anos de carreira, o sucesso de Jon Bon Jovi como cantor é imenso – e o artista agora quer reverter seu impacto na música em sucesso também para fazer do mundo um lugar melhor. A fundação criada com seu nome em 2006 procura ajudar comunidades e populações mais pobres a quebrar o ciclo de isolamento e pobreza – e uma de suas mais bem-sucedidas iniciativas é o JBJ Soul Kitchen, uma rede de restaurantes comunitários que oferecem alimentação sem exigir qualquer pagamento em troca.

O primeiro restaurante da rede foi aberto em outubro de 2011, em Nova Jersey, cidade natal do cantor. O segundo JBJ Soul Kitchen foi inaugurado em 2016 em Toms River, uma região profundamente afetada pelo furacão Sandy, em 2012.

Para fazer os restaurantes funcionarem, clientes dispostos a pagar ou oferecer trabalho voluntário – ou simplesmente doar qualquer quantia para os restaurantes – são muito bem-vindos. Em 2019, diante do atraso no pagamento a funcionários públicos nos EUA, o JBJ ofereceu refeições gratuitas para os trabalhadores que estavam sem salário.

Os cardápios oferecem 3 pratos típicos da cozinha estadunidense, e já serviu mais de 105 mil pratos – com cerca de 54% dessas refeições tendo sido pagas com doações, e os restantes 46% pagos através de trabalhos voluntários. O funcionamento do restaurante é por ordem de chegada, mas quem estiver enfrentando dificuldades financeiras ganha preferência no atendimento. Trata-se de um trabalho exemplar, que oferece ao sucesso de Jon Bon Jovi um vulto diretamente mais luminoso – fazendo do cantor efetivamente uma grande estrela.

Publicidade

© fotos: divulgação


Kauê Vieira
Nascido na periferia da zona sul de São Paulo, Kauê Vieira é jornalista desde que se conhece por gente. Apaixonado pela profissão, acumula 10 anos de carreira, com destaque para passagens pela área de cultura. Foi coordenador de comunicação do Projeto Afreaka, idealizou duas edições de um festival promovendo encontros entre Brasil e África contemporânea, além de ter participado da produção de um livro paradidático sobre o ensino de África nas Escolas. Acumula ainda duas passagens pelo Portal Terra. Por fim, ao lado de suas funções no Hypeness, ministra um curso sobre mídia e representatividade e outras coisinhas mais.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Xuxa celebra sexo após os 50 e diz que viveu experiências novas com envelhecimento