Ciência

Acidentes com morcegos aumentam 101% em São Paulo; entenda

por: Yuri Ferreira

O caos está chegando! Os vampiros estão dominando a capital paulista! Peguem seus crucifixos e alho, é a hora de combatê-los! Ou não. Mas vamos te explicar, a cidade de São Paulo registrou um aumento de 101% – o dobro – em ataques causados por morcegos na Rede de Saúde Pública.

Morcegos são geralmente herbívoros e se alimentam de plantas, mas existem algumas variações do animal que são hematófagas – se alimentam de sangue -, como os vampiros de livros, filmes e séries. Essas espécies hematófagas são mais raras e costumam habitar ambientes de mata fechada, enquanto as variações ‘vegetarianas’ são mais comuns nos centros urbanos.

– Esta mulher já resgatou e cuidou de cerca de 400 bebês morcego

Morcegos hematófagos vivem em áreas de mata

O aumento que se deu na cidade de São Paulo – de 107 ataques em 2018 para 216 em 2019 – se deu majoritariamente em áreas de mata fechada e em parques de preservação ambiental, que começaram a ser utilizados por religiões – especialmente evangélicas – para fazer cultos. A maior parte dos incidentes (69) foram um hospital da Zona Leste da cidade, onde as igrejas que frequentam esses tipos de espaço são mais comuns.

Muitos ataques também acontecem quando as pessoas tentam retirar ou atacar morcegos que estão tranquilos. Com a crescente de invasões em áreas de mata, os bichinhos podem acabar se acomodando em forros e em regiões habitadas, podendo fazer com que pessoas ataquem os animais e sofram revides (que aí então se protegem e não buscam alimento).

– Clínica na Austrália funciona como um orfanato para bebês morcegos

“As cidades foram crescendo e tomando conta das matas. A iluminação das cidades atraiu os insetos e os morcegos vão em busca de alimento. E os morcegos que se alimentam de insetos se adaptaram às casas. Por isso, eles podem ser encontrados no forro das residências”, afirmou a bióloga Helen Regina da Silva Rossi ao Estadão.

A principal preocupação de saúde não é virar um vampiro, mas é a raiva. A doença, que está extinta na capital paulista desde 1981 pode acabar afetando pessoas quando em contato com morcegos. Por isso, é importante que em qualquer caso de conflito com morcego que gere mordida ou arranhão a pessoa se dirija imediatamente para um hospital, para fazer o tratamento que coíbe o vírus fatal.

Publicidade

Foto: © Getty Images


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness. No twitter, @yurifen.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Juíza permite plantação de cannabis para tratamento medicinal no RJ