Fotografia

Black Friday: Ensaio reflete sobre desperdício em tempos de consumismo desenfreado

por: Yuri Ferreira

Black Friday é um tempo lindo, não é? Preços lá embaixo para tudo, gente se batendo em loja de departamento pra comprar televisão com 10% de desconto e um monte de compra por impulso que nem vão fazer você se sentir culpado na próxima fatura de cartão de crédito…

Um dos principais setores que agita a Black Friday é o fast fashion. Lojas de roupas colocam o preço lá embaixo e o povo compra qualquer blusinha achando que tá fazendo bom negócio. Quando chega em casa, vê como talvez não deveria ter comprado uma calça saruel com strass. Mas, existe um lado ainda mais perverso no consumismo desenfreado impulsionado pela dita indústria do fast fashion.

– ‘A gente não precisa de roupas novas’: o incrível movimento brasileiro Roupa Livre

“Sweater de caxemira, apenas 120 libras. Com pegada de carbono de 22kg. 3000 litros de água para ser feita. Pense antes de comprar”, é o que diz a obra de Igor Dobrowolski, que denuncia a indústria do fast-fashion.

Segundo dados da Fundação Ellen McArthur, que busca compreender os impactos da indústria da moda no meio ambiente e na maneira como pensamos nas nossas vestimentas, cerca de 2625 quilos de roupa vão para o lixo por segundo no mundo. Em um dia, isso seria o suficiente para fazer um Empire State Building inteiro e deixar outro pela metade.

Por ano, são 82.728.000.000 quilos de roupa, o que eu acredito que sejam 82 trilhões de quilos. Isso seria o suficiente para encher a Baía de Sydney, na Austrália. Acontece que a indústria do fast fashion e a constante alteração de tendências na moda faz com que a gente tenha que renovar o nosso guarda roupa anualmente e muita gente acaba se sentido coagida a se vestir sempre na moda.

– Jovens estão repaginando o vestido de formatura das mães para economizar e combater o fast fashion

Momentos como a Black Friday podem tirar inclusive o nosso julgamento de como a indústria da moda pode ser prejudicial. O artista visual Igor Dobrowolski resolveu explicitar o lado negativo dessa máquina de jogar roupa fora.

“Fast fashion é o termo que se usa para descrever as tendências efêmeras que vão e vem na indústria da moda. Essas tendências não somente mudam rapidamente, mas rapidamente também acabam no lixo, criando toneladas de lixo e poluindo o nosso planeta”, afirma o artista em uma postagem de seu Instagram.

– Designer cria linha de roupas que crescem junto com as crianças

Confira as obras que Igor criou para evidenciar denunciar nosso consumismo desenfreado:

Publicidade

Fotos: © Igor Dobrowolski


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness. No twitter, @yurifen.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Mãe adota bebê com Down e a fotografa com fantasias que ela mesma cria