Inspiração

Internos da Fundação Casa estão na final de Olimpíada de Matemática

por: Yuri Ferreira

Muita gente não acredita em recuperação de pessoas que cometeram crimes. Muita gente acha que a solução não é a educação. Mas olha só: na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas, três jovens da Fundação Casa de Araraquara, São Paulo, passaram para as fases finais e disputarão bolsas de estudo e prêmios em dinheiro.

O professor Hugo Tortorelli na Fundação Casa de Araraquara

Marcelo* (13), Roberto* (16) e Lucas* (16) obtiveram ótimo desempenho na Olímpiada. Dois deles são reincidentes e todos foram pegos por tráfico de drogas. O ótimo desempenho dos internos despertou a atenção e a percepção de que existe sim, outro caminho, para jovens que se envolveram com o crime. Pelo menos é nisso que acredito Hugo Tortorelli, professor de matemática dos jovens:

“O mais importante não é a olimpíada, é voltar a estudar. Se, de cada 100 alunos, cinco permanecerem na escola lá fora, já me sinto realizado. Eles não veem que a escola transforma, forma cidadãos. Eles têm que ter ciência de que, se não voltarem a estudar, podem voltar para cá. Tem que ter muita força de vontade porque, quando ele chega ao bairro, os amigos não pensam assim”, afirmou Hugo à EPTV, filiada da Globo em São Carlos e Região, interior de São Paulo.

– Ex-interno da Fundação Casa é premiado em feira de ciências com projeto ecológico

“Quero realizar meu sonho. Se os outros conseguem, por que a gente não? Eu consigo ir além”, afirmou um dos jovens à entrevista da Globo. Ele pretende cursar direito. Outro disse que prefere engenharia e o terceiro deles, o mais novo, disse que pretende voltar à escola.

Histórias de reinserção social

Uma das principais histórias recentes que tocou toda a internet foi a de Ariel Franco, o famoso Ariel Barbeiro, um ex-presidiário que conquistou a internet depois de fazer sucesso com o seu inovador e forte penteado blindado. O conteúdo viralizou e hoje um corte de Ariel está na faixa dos R$250. O sucesso veio e poucos sabiam que Ariel era um ex-presidiário.

Ariel foi detido também por tráfico de drogas mas se reergueu e já cortou o cabelo até de gente do Black Eyed Peas no último Rock in Rio. A espera por um corte de Ariel em sua barbearia em São Paulo pode chegar a 2h.

Um presídio na Califórnia tem incentivado os seus detentos a aprender programação. O projeto Code. 7370, da ONG Last Mile, tem como intenção ensinar HMTL, CSS, Javascript e WordPress para presos, que podem alcançar novas oportunidades profissionais ao cumprirem suas penas.

“As perguntas que eles faziam eram muito inteligentes e vários deles tinham projetos de negócios que queriam realizar”, contou o empresário Chris Redlitz.

*Nomes fictícios

 

Publicidade

Fotos: Foto 1: Reprodução/EPTV Foto 2: Reprodução/Instagram


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness. No twitter, @yurifen.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Ela adotou as quatro filhas da melhor amiga após ela falecer em decorrência de um câncer