Inspiração

Pastor alemão com nanismo espalhou corrente de fofura nas redes

por: Gabriela Glette

Com apenas 2 anos, o pastor alemão Ranger nos ensina que, tudo é uma questão de perspectiva. Diferente dos outros cães da mesma raça, ele é pequeno e será assim para sempre, já que tem nanismo. No entanto, é justamente esta característica incomum que está destruindo corações na internet. Conhecido nas redes sociais, o “blogueiro” possui mais de 78 mil seguidores no Instagram.

pastor alemão nanismo 1

O cãozinho mora em Phoenix – Arizona e sofre de uma condição genética, que pode atingir raças como os pastores e os bassets por exemplo. Shelby Mayo –  sua dona, afirma que não sabia que ele ficaria assim: “Quando o pegamos, ele era um pouco menor que os outros, mas achamos que ela estava com algum parasita”. Isto porque, quando adotado Ranger realmente estava com uma infecção no pescoço causada por parasitas.

pastor alemão nanismo 2

Porém, o tempo passou e ele simplesmente não cresceu mais. A suspeita é de que ambos os pais do cão tinham genes recessivos, que não se manifestaram.

pastor alemão nanismo 3

Infelizmente, especialistas garantem que, apesar da fofura, ele pode vir a ter problemas de saúde devido a esta condição. Após ser castrado, ele perdeu muitos pelos, ficou sem apetite e teve problemas de pele, só resolvidos quando ele teve alterações na dieta e nos cuidados de higiene.

pastor alemão nanismo 4

Hoje, Ranger é acompanhado de perto, está mais saudável e feliz do que nunca e adora pular por aí com suas irmãs Hazel e Jessie. Isto sem contar que é um verdadeiro influenciador digital!
pastor alemão nanismo 5

Nanismo em cachorros

Apesar de reverenciarmos a fofura de Ranger, precisamos desconstruir um pouco esta questão. De acordo com Jodie Carroll – especialista em pastor alemão, o nanismo é encontrado em 12% dos cães da raça no mundo e os criadores deveriam levar essa mutação mais a sério, usando esses genes para estudos.

O nanismo hipofisário ocorre em cachorros quando os filhotes nascem sem uma glândula chamada hipófise e sem a capacidade de produzir a quantidade certa de hormônios responsáveis pelo crescimento. E isto é resultado das inúmeras mutações genéticas provocadas por nós mesmos.

Publicidade

Fotos: Instagram


Gabriela Glette
Uma jornalista que ama poesia e mora na França, onde faz mestrado em comunicação. Apaixonada por viagens e inquieta por natureza, ela encontrou no nomadismo digital o segredo de sua felicidade, e transforma a saudade que sente da família e amigos em combustível para escrever suas histórias.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Escolas ao ar livre criadas para combater a tuberculose no início do século 20