Inspiração

Restaurante cria experiência inusitada e inclusiva empregando garçons com demência

por: Vitor Paiva

Quando um pedido vem errado em um restaurante, é natural que se informe o erro ao garçom para que o prato desejado enfim venha. Essa regra vale para praticamente todo restaurante do mundo – menos um: no Restaurant of Mistaken Orders, em Tóquio, no Japão, já é esperado que você não receba aquilo que pediu. A tradução do próprio nome do restaurante pop-up já anuncia: em português quer dizer algo como o Restaurante dos Pedidos Trocados, e o motivo, além de bem-humorado, é por uma causa nobre.

Os “pedidos trocados” do nome são, em verdade, um aceno a respeito do verdadeiro propósito do restaurante: os funcionários que atendem no salão são todos pessoas com demência. O acordo, portanto, entre cliente e restaurante se resolve da seguinte maneira: você pode até não receber o prato que pediu, mas seguramente irá comer algo delicioso.

Tanto que as estatísticas sobre o restaurante afirmam que, ainda que 37% dos pratos de fato venham trocados, 99% dos clientes saíram satisfeitos da experiência de se almoçar ou jantar no Restaurant of Mistaken Orders.

Segundo o produtor da empreitada – que, como todo pop-up, acontece somente por um período determinado – a ideia é de fato abrir mais a cabeça das pessoas a respeito do convívio com quem sofre de demência (atualmente são 35 milhões de pessoas no mundo). “Queremos transformar a sociedade em uma realidade mais carinhosa e leve”, disse Shiro Oguni, responsável pelo Restaurant of Mistaken Orders.

“Com demência ou sem demência, podemos viver em harmonia”, afirmou – e, pelo visto, se deliciar com um prato especial, mesmo que não seja aquele que havíamos pedido.

Publicidade

© fotos: divulgação


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Músico recupera violino de R$ 1,3 milhão esquecido em trem