Ciência

Startup garante criação da primeira ‘carne à base de ar’ do mundo

por: Yuri Ferreira

A startup Air Protein, sediada nos EUA, revelou que fez a primeira ‘carne à base de ar‘ do mundo. Pera, vamos explicar: o produto desenvolvido pela empresa é uma proteína igual à da carne bovina, obtida através de microorganismos que ingerem CO2 – dióxido de carbono – e transformam a substância em proteína.

A proteína de ar é bastante completa nutricionalmente e contém vitamina B12, que não existe em alimentos de origem vegetal. O novo produto causará um grande impacto na indústria de carnes sem origem animal, porque ela pode substituir a dependência completa nutricional de vegetais que substituem ou imitam a carne bovina, suína ou de aves.

A carne da Air Protein é extraída do ar

O novo produto é baseado em uma antiga tecnologia desenvolvida pela NASA – que esteve em testes desde os anos 1960. Com algumas soluções minerais misturadas ao dióxido de carbono, os microorganismos ingerem a solução e é possível extrair uma farinha de proteína, que poderá ser usada em carnes, barrinhas de cereal e vários outros tipos de alimento, podendo funcionar como um substitutivo nutricional para milhares de pessoas ao redor do mundo.

A proteína extraída pela Air Protein

Inovações tecnológicas na indústria da carne

Muitas empresas e universidades tem avançado em pesquisas para expandir a indústria de carne de origem não animal. A intenção é reduzir processos de agropecuária que são danosos ao meio ambiente, responsáveis pelo desmatamento e aceleradores do aquecimento global. Com menos “plantações de gado”, menos emissões de gases poluentes e menor a necessidade de plantio de soja – um dos principais catalisadores do desmatamento no mundo.

Cerca de 14% da população brasileira é vegetariana. O Brasil ainda é um dos maiores consumidores de carne do mundo, mas o cenário vem mudando. Os hábitos alimentares da população – especialmente urbana – tem se virando para práticas mais conscientes. O país segue sendo um dos maiores expotadores de carne do planeta, tendo Rússia, China e EUA como principais compradores dos animais brasileiros.

A pesquisa para substituição da carne no Brasil tem crescido também. A gente experimentou o hambúrguer vegano de laboratório, o Futuro Burguer, para entender qual é o sabor da inovação, produzida aqui no Brasil em uma fazenda no Rio de Janeiro.

O Futuro Burguer é um sucesso vegano

A Behind The Foods é uma outra foodtech que entrou no Brasil para tentar mudar o cenário da alimentação no Brasil, buscando produzir hamburgueres, linguiças e carne moída sem a necessidade de matar nenhum animal para realizar sua produção.

Grandes empresas também estão aderindo a nova tendência: o Burguer King criou o Rebel Whopper, que tem como intenção mostrar ao cliente carnívoro que seu hambúrguer vegetariano é indiferenciável do hambúrguer de carne. A rede é pioneira em lanches vegetarianos nos fast-foods aqui em nosso país.

Publicidade

Fotos: fotos 1 e 2: Divulgação/Air Protein/foto 3: Divulgação/Futuro Burguer


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness. No twitter, @yurifen.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
As incomuns tartarugas albinas que mais parecem dragões