Debate

Cantora desabafa contra Silvio Santos em nova acusação de racismo

por: Karol Gomes

Silvio Santos já mostrou diversas vezes que tem atitudes machistas e pensamentos ultrapassados para a televisão, especialmente nos dias de hoje, quando a nova geração está mostrando como se faz programas de audiência com respeito ao público presente no estúdio e assistindo de casa. 

No Programa Silvio Santos exibido neste domingo (8), o apresentador confirmou o problema, dessa vez com uma atitude racista. No quadro “Quem Você Tira?”, onde cantoras competem pela preferência do público interpretando a mesma canção, ele mostrou descontentamento com os resultados da votação do público, que apontava para a vitória larga de Jennyfer Oliver, a única negra na competição. 

O todo poderoso do SBT decidiu ignorar as regras do jogo para dar a vitória para Juliani, além de R$ 500 adicionais. “Se eu estivesse em casa, vendo o programa, na minha opinião, a melhor intérprete na televisão seria Juliani. Você é muito bonita, canta bem. Você ganhou”, disse o apresentador.  

Assim que o programa foi ao ar, os espectadores notaram o problema e comentaram nas redes sociais. O apresentador está sendo acusado de racismo contra Jennyfer. 

Nesta segunda-feira (9), a cantora respondeu a repercussão do resultado do quadro em seu Instagram. Jennyfer se pronunciou sobre o assunto, evitando o termo, mas admitindo que se sentiu “constrangida”.

“Eu fiquei superconstrangida no momento, mas como demorou três semanas para ir ao ar, eu não podia mencionar nada sobre o assunto, e muito menos expor nada, porque o programa não havia passado”, contou.

– Socióloga liga preconceito em reality shows ao racismo estrutural da TV

Jennyfer comentou ainda sobre o momento em que o apresentador interrompeu sua apresentação após ouvir as outras três competidoras cantarem. “Eu jurava que ia ser editado, e eles iriam pular essa parte que ele me barrou de cantar a música. Em nenhum momento eu postei nada dizendo que ele foi racista comigo, ou algo do tipo. As pessoas sentiram e comentaram, postaram coisas no Twitter e no Instagram. Quem assistiu, viu. O povo sentiu a situação”, continuou. 

Oliver se queixou também sobre o critério usado por Silvio para dar dinheiro a mais para Juliani. “Acabou que ele [Silvio] gostou da Ju, ele falou que ela ia ganhar mais 500 reais porque ela era mais bonita. Só que aí entra aquela questão, o quadro era para cantoras, não pela beleza”, comentou. E completou, dizendo: “Todas as meninas eram lindas, na minha opinião, todas cantavam muito bem, tanto é que eu fiz amizade com elas até hoje, uma indica trabalho para a outra, e não é um programa de televisão que vai qualificar o que é melhor ou não”, disse também.

– Sul-africana eleita ‘Miss Universo’ destaca diversidade e fala contra o racismo: ‘Isso acaba hoje’’

A cantora finalizou dizendo que não ia entrar com qualquer tipo de ação legal contra o programa ou o apresentador. Tampouco pretende participar de outras competições televisivas. “Não vai adiantar, vai continuar do mesmo jeito. Não vai adiantar processar e ir atrás de direitos, porque aí eu vou ser prejudicada, nunca mais vou participar de emissora nenhuma. O que manda é o dinheiro, ele pode comprar advogado, pode calar minha boca”, completou.

Vale lembrar que racismo – atitudes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional – é crime inafiançável no Brasil

– De novo, Silvio? 

O apresentador já indignou o Brasil por debochar de crianças e, pior ainda, de maneira racista. Durante o Teleton, ele recebeu o elenco de Chiquititas, contando com a atriz mirim Julia Olliver, que respondeu uma pergunta do apresentador sobre o que queria ser quando crescer: “ou eu vou ser atriz ou eu vou ser cantora”. Ao que Silvio respondeu imediatamente: “com esse cabelo?”

Também no Teleton, Sílvio recebeu dançarinas gordas e comentou que uma delas era graciosa apesar de ser negra – isso sem mencionar as falas gordofóbicas do encontro. 

Em outro momento do seu canal, o quadro “Talento Infantil”, o apresentador perguntou à Elis, uma menininha negra de cinco anos que mora no Rio de Janeiro, se ela achava que estava bem com seu cabelo crespo. A criança disse que sim, mas Silvio insistiu, dizendo que o cabelo estava chamando “atenção demais”.

Publicidade

Fotos: Reprodução


Karol Gomes
Karol Gomes é jornalista e pós-graduada em Cinema e Linguagem Audiovisual. Há cinco anos, escreve sobre e para mulheres com um recorte racial, tendo passado por veículos como MdeMulher, Modefica, Finanças Femininas e Think Olga. Hoje, dirige o projeto jornalístico Entreviste um Negro e a agência Mandê, apoiando veículos de comunicação e empresas que querem se comunicar de maneira inclusiva.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
História da ditadura militar em SP inclui trilha na histórica vala de Perus