Debate

Capa apenas com empreendedores brancos mostra que jornalismo não encara o racismo

por: Yuri Ferreira

A gente sabe que boa parte do jornalismo está descolado da realidade. A falta de diversidade nas redações, que contam, em sua maioria, com apenas pessoas brancas de classe média, acaba prejudicando a qualidade do jornalismo e reforçando estereótipos preconceituosos e invisibilizando projetos de pessoas negras, periféricas, LGBT e mulheres.

Um dos casos mais recentes dessa desconexão foi evidenciado na capa da Revista Exame, que fala sobre os grandes executivos jovens desse ano. 6 homens brancos figuram como os principais executivos brasileiros, que tem o “espírito empreendedor”. Nenhuma mulher e nenhum negro aparecem na capa da revista. Mas será que realmente não tem nenhum empreendedor negro ou nenhuma mulher que valham a pena ter sua história contada?

– Protagonismo negro na tecnologia: Ocupação Afro Futurista faz de Salvador a Wakanda brasileira

O professor do mestrado da ESPM Fábio Mariano Borges denunciou a incapacidade das redações de mostrarem como o empreendedorismo diverso é rico e como os empreendedores negros, LGBT e periféricos estão em uma luta real dentro do mercado e que suas vitórias são geralmente invisibilizadas por boa parte dos “especialistas no mercado”.

“Por mais que mulheres, LGBTs, pessoas negras ou PCDs tenham lutado, brilhado e feito 2019 bombar, nunca receberão destaque enquanto a mentalidade vigente enxergar somente o sucesso da Brigadeiro Faria Lima, Berrini, Barra, Ipanema, Leblon e Pampulha. Muitas pessoas sem equidade (negros, mulheres, LGBTQs, PCDs), lutam a cada segundo para se manterem vivas, não serem agredidas nas ruas e terem o mínimo de visibilidade”, afirmou Fábio em uma publicação em seu Facebook feita no dia 5 de dezembro.

Já falamos diversas vezes sobre projetos de empreendedorismo cheio de diversidade que buscam transformar o mundo através da sua profissão. Dá uma olhada:

– Conheça a Katuka, loja de Salvador onde empoderamento negro, literatura e moda se unem

– Favela de SP terá cartão de crédito próprio pra incentivar consumo e empreendedorismo local

– ‘Empreguei o homem que me abandonou grávida’: a história de luta desta empresária é inspiradora

Confira a postagem integral do professor:

 

 

Publicidade

Fotos: Reprodução/Facebook


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness. No twitter, @yurifen.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Primeiro caso de stalker é investigado pela Lei Maria da Penha no Brasil