Diversidade

Modelo não-binária ensina tolerância a um pai confuso e texto viraliza

por: Karol Gomes


“Você é um homem ou uma mulher?”. Sempre que Rain Dove ouve essa pergunta, responde como a pessoa não-binária que é: “Sim, eu sou”. E, com um um nível máximo de paciência alcançado, usa suas redes sociais para educar sobre a questão, respondendo todas as perguntas que recebe de maneira gentil e didática. 

Sua crença é que responder com compaixão e interesse, mesmo quando as mensagens recebidas são violentas, ajuda quem está do outro lado a reavaliar comportamentos. 

Dove compartilhou uma conversa recente, com um pai que estava furioso e confuso com um pedido que recebeu de sua(seu) filha(o): um binder, top que contrai os seios femininos, principalmente em idade de puberdade. Nas respostas, Dove mostrou calma e compreensão e deu um jeito de tornar a conversa muito educativa. 

O que convenceu o pai a comprar o binder foi o argumento de Dove de que, sem um material próprio para este tipo de contração, a criança ia acabar utilizando outros produtos que não seriam seguros para seu corpo. 

 

Dove explicou ainda que a descoberta como pessoa não-binária pode ser muito dolorosa e solitária, por isso, é importante se preocupar também com a saúde mental de quem está passando por isso. Dar abertura para que sua(seu) filha(o) fale sobre isso dentro de casa pode poupar até mesmo tentativas de suicídio. 

Como um pai que não quer perder sua cria, ele mudou completamente de postura até o fim da conversa, dizendo a Dove: “Estou fazendo uma pesquisa para decidir que ‘binder’ comprar e converso com você depois. Obrigado por falar comigo sem ficar com raiva. Quero que ‘minha filha’ viva a vida que ‘ela’ quiser, só isso”

View this post on Instagram

Parents I promise that a professional binder is a safer option for your teen than alternatives they might be using. Getting them one as a gift can be life saving. A great brand and resource is @gc2b they even recently gave me a whole box to donate when in SA. Amazing conscientious and involved company. Binding ones chest can be a dangerous thing- especially when using alternative options like I used to do. Ace bandage and ducttape lead to skin tearing, fractured ribs and I even passed out once after taking off the binding from the oxygen rushing into my system again. I have models I’ve worked with who will testify times in which they saw my body distorted after inappropriate binding practices. People bind for many reasons. It’s not always identity or dysphoria related. Especially people with larger breasts have expressed binding has been lifesaving in functional terms. Binding CAN be lifesaving and ease much anxiety. I must note that it alone won’t make someone feel complete in their existence. We must work to dismantle toxic oppressions that lead to social oppressions and anxieties. We must create a space of love for all people to live in no matter their bodies. We must create a safe space for dialogue. #LoveWins #noteasybutworthit #nonbinary #memes #educatedonthate #binding #lgbtq #genderfluid #trans #lovewins #grsm NOTE: Sammys parent gave me permission to post this convo! Always important to make sure You have permission! The photo is not their real face.

A post shared by Rain Dove (@raindovemodel) on


Tendo um caso de sucesso em mãos, Dove compartilhou a conversa sem revelar a identidade do pai ou da criança não-binária, o que inspirou seus seguidores a adotarem este tipo de comunicação não violenta para educar outras pessoas. 

Basicamente, Dove está criando agentes de transformação que podem salvar muitas vidas de jovens LGTB – e isso é maravilhoso! 

Publicidade

Fotos: Reprodução / Instagram


Karol Gomes
Karol Gomes é jornalista e pós-graduada em Cinema e Linguagem Audiovisual. Há cinco anos, escreve sobre e para mulheres com um recorte racial, tendo passado por veículos como MdeMulher, Modefica, Finanças Femininas e Think Olga. Hoje, dirige o projeto jornalístico Entreviste um Negro e a agência Mandê, apoiando veículos de comunicação e empresas que querem se comunicar de maneira inclusiva.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Fatou Ndiaye é mais que vítima de racismo. É uma jovem linda e inspiradora e podemos provar