Criatividade

Prefeita decreta: está ‘proibido’ morrer aos finais de semana

Yuri Ferreira - 16/12/2019 às 17:20 | Atualizada em 16/12/2019 às 17:21

É cada bizarrice que acontece nesse mundo! Sim, a prefeita de La Gresle, cidade no sudoeste francês, próxima a Lyon, passou um decreto proibindo os cidadãos da cidade de morrerem aos sábados, domingos e feriados. Mas por que diabos alguém tomaria uma medida tão absurda?

A prefeita de La Gresle, Isabelle Dugelet, tomou a medida como um protesto devido a falta de médicos na região. Segundo Dugelet, a medida foi tomada a pós um senhor de idade morrer durante um domingo e nenhum profissional de saúde da cidade ou da região dar o atestado de óbito para o senhor, atentando para os problemas de saúde da região.

– Série fotográfica retrata leis absurdas que você nem sabia que existiam

Isabelle Dugelet, a mulher por trás de uma das leis mais absurdas de toda a história

“Uma morte recente em uma tarde de domingo trouxe uma prova do absurdo de um sistema, ao qual a prefeita responde com um decreto absurdo”, afirmou a prefeita em comunicado oficial. Ela conseguiu o que queria: atentar para o problema da falta de médicos em La Gresle, com uma notícia que tem repercutido ao redor do mundo todo.

– Fotógrafa retrata alguns dos empregos mais bizarros do mundo

Ainda segundo a France Press, várias cidade que ficam ao redor do município interiorano se recusaram a disponibilizar profissionais de saúde para o ocorrido, sugerindo que policiais ou outras autoridades locais poderiam declarar a morte da mesma maneira que um médico pode. Bizarro, né?

La Gresle, a cidade onde é proibido morrer aos fins de semana e feriados

Após a morte do sujeito, as autoridades demoraram mais de 3 horas procurando um médico que se habilitasse a ir à cidade para atestar a morte do senhor. Para atentar ao problema, Dugelet fez o protesto inusitado. Segundo a prefeito, isso se trata de um problema crônico das regiões rurais da França. A cidade grande mais próxima do município de La Gresle, que tem apenas 900 habitantes, é Lyon, localizada a 100 quilômetros da cidade de Dugelet.

– Prepare-se para conhecer os banheiros mais bizarros do mundo

“As pessoas têm dificuldade em obter tratamento, encontrar um médico e, às vezes, precisam viajar quilômetros (…). Há muita preocupação com isso no meu município. A saúde é a principal questão nas áreas rurais, e venho chamando políticos há anos sobre esse assunto, mas nada está mudando”, explicou Isabelle à AFP.

Publicidade

Foto 1: Divulgação Foto 2: Wikimedia Commons


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness.

Canais Especiais Hypeness