Inspiração

Instituto Federal de Roraima forma a primeira turma composta somente por indígenas

por: Vitor Paiva

A dimensão do massacre cometido contra as populações originárias do Brasil pode ser medido em muitas maneiras ao longo da história até a atualidade – como, por exemplo, através da baixíssima presença de pessoas de origem indígena dentro das universidades e instituições de ensino.

Mas há boas notícias para tal cenário, vindas principalmente do Instituto Federal de Roraima – onde 21 formandos do curso técnico em agropecuária tornaram-se oficialmente a primeira turma composta exclusivamente por indígenas das comunidades da região. A celebração aconteceu no dia 13 de dezembro, após três anos de curso.

Segundo Sandra Maria Dias Botelho, reitora do IFRR, a formação possui um significado grandioso para o propósito de uma educação pública de qualidade mas também inclusiva. “Hoje o Instituto Federal de Roraima mais uma vezccumpre sua missão”, disse a reitora. “Com essa formação integral que esse novo profissional, agora vindo para a sua comunidade, terá, é só colocar em prática os conhecimentos na comunidade. Para nós, do IFRR e do Campus Amajari, é um momento ímpar, e precisamos garantir essa oferta, porque o potencial da comunidade é grande”, afirmou.

A celebração é também o início de uma nova etapa – já que há pela frente a possibilidade de formação superior. Atualmente o Campus Amajari oferece o curso de Tecnologia em Aquicultura e  para o ano que vem será aberto a Licenciatura em Ciências da Natureza, com dois novos alojamentos sendo construídos, um deles para atender o curso superior.

Publicidade

© fotos: divulgação


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.


X
Próxima notícia Hypeness:
Ele é o ‘gato de botas do Shrek’ da vida real e consegue o que quer com sua ‘atuação’