Debate

Jornalista do Irã reage aos memes brasileiros e diz que vai passar o Carnaval aqui

por: Yuri Ferreira

No dia 5 de janeiro, o presidente Donald J. Trump ordenou a morte de Qasem Al-Soleimani, general de alto escalão do Irã. A decisão iniciou uma nova série de conflitos no Oriente Médio e a iminência de uma guerra de grandeza global tornou-se o principal assunto no Twitter. No Brasil, não foi diferente, exceto pela abordagem. Os usuários brasileiros lotaram a rede social de memes sobre o tema.

Os memes foram pauta no Irã após o início do conflito com os EUA

A interação massiva dos internautas do Brasil renderam pauta jornalística no canal Iran International. O jornalista Pooya Jahandar traduziu alguns tweets e exibiu imagens de ícones da memética brasileira como Gretchen e Andressa Urach. Boa parte das postagens clamava por piedade, pedindo que o país não fosse atacado em uma hipotética guerra. Confira a tradução do vídeo da rede iraniana para o português:

– ‘Não há homossexuais no Irã’: série de fotos retrata jovens iranianos em busca da libertação sexual

Se os brasileiros estavam com medo, Pooyan fez questão de apaziguar a situação. O apresentador reforçou que o país só tem problemas com os Estados Unidos e que gostou muito dos comentários e humor de nosso país. Além disso, afirmou que vai passar o Carnaval em terras brasileiras. O tweet em português do jornalista viralizou:

Envolvida nas tensões dos memes Brasil-Irã, a cantora e ícone Gretchen também reagiu após aparecer em um noticiário de política internacional. Seus GIFs, que são uma linguagem quase universal no Twitter, não ficaram de fora da abordagem jornalística da Iran International. Confira o tweet da rainha:

– Fotógrafo mostra o outro lado do Irã onde jovens fumam, têm tatuagens e mulheres não usam véu

Brincadeiras à parte, a situação do Brasil no conflito Teerã-Washington se agravou após o governo iraniano questionar a carta do Itamaraty em apoio aos EUA. As retaliações à morte de Soleimani por parte do Irã ainda não foram realizadas, e o mundo vive momentos de tensão aguardando a continuidade do conflito. Certeza, por enquanto, é só de que, independente da resolução, a gente vai fazer o que sabe de melhor: memes.

Publicidade

Fotos: Reprodução/Twitter


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness. No twitter, @porfavorparem.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Presidente da Argentina envia ao Congresso proposta para legalização do aborto: ‘Meu compromisso’