Diversidade

Jovem negro taxado de ‘suspeito’ por fotos em bairro de Jundiaí inicia carreira na fotografia

por: Karol Gomes

Um jovem negro com uma câmera fotográfica na mão não é um “suspeito”, tampouco uma “ameaça”. Após finalizar um curso profissionalizante, Gabriel Souza está sendo reconhecido pelo sua profissão, que desempenha muito bem: fotografo. 

Ele compartilhou em seu Instagram a primeira experiência oficial e remunerada como fotógrafo. Gabriel ainda precisa intercalar os freelas de fotos com o trabalho na borracharia do pai, mas já há um grande avanço com relação ao que ele teve que passar no ano passado. 

Gabriel em seu primeiro trabalho oficial como fotógrafo / Arquivo Pessoal

No último mês de outubro, o jovem foi hostilizado no bairro de Elóy Chaves, em Jundiaí (SP). Com um olhar racista, moradores desconfiaram de suas intenções, supondo que ele estava fotografando casas para invadi-las. Gabriel estava só praticando com uma câmera. Olha só as fotos que ele tira em passeios pelo cotidiano: 

Mas não foi o trabalho de Gabriel que provocou curiosidade. Foi a presença dele. Fotos e áudios foram divulgados em grupos de moradores no WhatsApp e no Facebook alertando sobre a presença do rapaz e aconselhando que, se o vissem, acionassem a Guarda Civil Municipal.

O caso do rapaz de 18 anos chegou a ser investigado pela Polícia Civil. Além do jovem, o administrador do grupo do WhatsApp onde mensagens foram postadas e a moradora que teria divulgado imagens do rapaz tiradas da câmera de segurança da casa dela também foram ouvidos. O caso se encontra arquivado no momento. 

Na ocasião, Gabriel contou que só entendeu o que estava acontecendo quando um cliente e morador de um condomínio próximo mostrou a ele as fotos e áudios que estavam circulando na internet.

Mas agora ele vira a página deste caso de racismo para realizar um sonho: “Estou ‘entrando no jogo’. Sempre tive um apreço muito grande pela área e desde pequeno despertava curiosidade. Então, a partir dos 12 anos comecei a treinar o olho para isso. Hoje, gosto de pegar cenas inusitadas e fotografar a natureza. Adoraria trabalhar com isso, ser fotógrafo nessa área”, disse em entrevista para o G1

Publicidade

Fotos: Reprodução


Karol Gomes
Karol Gomes é jornalista e pós-graduada em Cinema e Linguagem Audiovisual. Há cinco anos, escreve sobre e para mulheres com um recorte racial, tendo passado por veículos como MdeMulher, Modefica, Finanças Femininas e Think Olga. Hoje, dirige o projeto jornalístico Entreviste um Negro e a agência Mandê, apoiando veículos de comunicação e empresas que querem se comunicar de maneira inclusiva.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Candidata negra é rejeitada em cota por ser ‘bonita’, nas palavras do desembargador